terça-feira, 22 de abril de 2014

Vagas para curso profissionalizante de Carpintaria

0 comentários

A prefeitura municipal de Governador Mangabeira, através da SEPROMI, em parceria com a SETRE e a COODEVALE, informam que as aulas para os cursos de culinária e carpintaria, cuja as inscrições foram realizadas em julho de 2013, tiveram início nesta terça-feira. 
Os interessados em participarem do curso de carpintaria, devem se dirigir a Escola Helena Magalhães, amanhã 23/04 às 13:30, para fazer a inscrição, pois ainda existem vagas disponíveis. 

Prefeitura Municipal de Governador Mangabeira, governo da cidadania.
Continue lendo ...

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Representante da SEPROMI de Governador Mangabeira participa de oficina em Porto Seguro

0 comentários

Na última terça-feira (15/04), o assessor da SEPROMI de Governador Mangabeira, Cássio Alves, participou de uma oficina na cidade de Porto Seguro, intitulada: I Oficina de Elaboração de Instrumentos de Monitoramento e Avaliação dos planos Municipais de Políticas de Promoção da Igualdade Racial no Estado da Bahia. O objetivo principal do município de Governador Mangabeira enviar um representante foi coletar informações e trocar experiências acerca da elaboração do mencionado Plano, uma vez que a SEPROMI local está na fase de elaboração do referido documento.
O evento contou com representantes de diversas cidades da Bahia, dentre elas podemos citar: Porto Seguro, Vitória da Conquista, Lauro de Freitas, São Francisco do Conde, Serrinha e Livramento de Nossa Senhora.
Vale salientar que as despesas de deslocamento, hospedagem e alimentação, foram custeadas pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial – SEPROMI.


Continue lendo ...

quinta-feira, 10 de abril de 2014

CONVITE - Reunião do Diretório do PT local

0 comentários

Estamos convidando a todos(as) os filiados(as) do PT local para participarem de uma reunião neste sábado (12/04/2014), às 19 horas, na antiga Escola Helena Magalhães, onde iremos discutir os seguintes assuntos: Informes; Escolha dos(as) operadores(as) do SISFIL; Eleição 2014; Calendários de reuniões do PT, Programa de Governo Participativo, Conjuntura política Local, Estadual e Federal; e o que ocorrer. 
Não Falte, pois iremos tomar decisões importantes para o nosso partido.

Atenciosamente:

Cássio Conceição Alves
Presidente do Diretório Municipal do PT /

Continue lendo ...

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Localidades do município de Governador Mangabeira serão beneficiadas com água encanada da Embasa

0 comentários



No dia 26 de março de 2014, durante a inauguração do PSF no bairro do Projeto, a prefeita Domingas Souza da Paixão (PT), anunciou para o público presente a mais a sua nova conquista junto aos governos Federal e Estadual.  Se trata da implementação do sistema de abastecimento de água da Embasa para os povoados de Carpina, Jacaré Grande, Quixabeira, Tocos 1, Tocos 2 e Tocos 3, Encruzo, Lagoa da Rosa e Sungaia. A obra irá atingir uma extensão de 58.782 metros, bem como beneficiará 4.797 habitantes, realizando 1.407 novas ligações. Vale salienta que no governo da prefeita Domingas outras localidades do município já foram beneficiadas com água encanada da Embasa a exemplo de: Gravatá, Posto Águia, Cipoal, Retiro e outras.
Para a execução dessa obra foi assinado um termo de cooperação no dia (26/03), durante a realização de um seminário na cidade de Salvador,  envolvendo os Governos Federal, Estadual e a Prefeitura de Governador Mangabeira.
A prefeita Domingas participou do Seminário e do ato de assinatura do convênio junto com o Governador Jaques Wagner, o Secretário da Casa Civil Rui Costa,  e varias outras lideranças politicas e civis.   
Parabenizamos a prefeita Domingas por mais essa representativa  conquista em sua gestão e reteríamos o compromisso dos governos Federal, Estadual e Municipal para com o povo mangabeirense, principalmente no que se refere ao abastecimento de água, pois entendemos que água é vida. Afirma o presidente do PT municipal – Cássio Alves. 



Continue lendo ...

Estudante de Engenharia de Alimentos da cidade de Governador Mangabeira, realiza intercâmbio em Portugal

0 comentários
No último mês de fevereiro, a SEPROMI, divulgou o intercâmbio do jovem Magno Luan na Suécia. A partir daí começamos a receber informações de alguns outros jovens oriundos de escolas públicas que estão na mesma situação, porém em países diferentes.
Dessa vez, divulgaremos o intercâmbio de Danielza de Souza da Silva de Jesus, estudante de Engenharia de Alimentos da Universidade Estadual de Feira – UEFS, que se encontra em Portugal na cidade de Bragança e irá passar uma temporada de seis meses estudando no Instituto Politécnico de Bragança. O principal objetivo desse intercâmbio, segundo Danielza, é ampliar seus conhecimentos acerca de algumas disciplinas especificas do curso de Engenharia de Alimentos e conhecer novas culturas.
“Estudar na Europa, sempre foi meu sonho, e está sendo um momento único pra mim, pois tenho a plena certeza que os conhecimentos adquiridos aqui serão a base para um futuro de sucesso. Hoje eu percebo mais uma vez, o a importância dos estudos, o valor que há em se dedicar e lutar por nossos sonhos. Eu agradeço muitíssimo a todo incentivo que recebi no Colégio Estadual Professor Edgard Santos, em especial ao Professor Borges, que sempre nos impulsionou a ir além, e acreditar que um aluno de escola pública, mesmo com tantas dificuldades pode alcançar sonhos, como curso o ensino superior, é preciso apenas dedicação, bem como a professora Jaqueline Leite que sempre foi alvo de minhas admirações por sua postura e conhecimento demostrados em sala de aula, que além de me incentivar, esteve auxiliando nos meus estudos para o vestibular.”. Afirma Danielza de Jesus.
“Fico muito feliz ao tomar conhecimento de trajetórias brilhantes feito as de Danielza de Jesus, Magno Luan e outros, que compreenderam a importância do estudo e estão alçando voos cada vez mais altos em busca de conhecimentos e um futuro melhor. Meus parabéns, que Deus continue iluminando os passos de cada um de vocês e saibam que pode sempre contar comigo”,  afirma Professor Borges.

Parabéns Danielza de Jesus!!



Continue lendo ...

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Encontro Regional do PT Recôncavo em Santo Amaro

0 comentários
Companheiros e companheiras, o encontro Regional do PT Recôncavo que era para acontecer no mês de março, será realizado no próximo domingo - 06/04/2014 em Santo Amaro, terá como pauta central a elaboração de propostas da nossa região para o plano de governo do nosso candidato ao Governo do Estado Rui Costa. Vejam abaixo uma síntese do que será o evento, organiza pelo companheiro Clóves de Santo Antonio de Jesus.
Atenciosamente - Coordenação do PT Recôncavo.

Encontro PGP do Recôncavo. Sistematizando as Propostas do Território para o Programa de Governo Participativo de Rui Costa.
Domingo, 06 de abril de 2014 – Santo Amaro da Purificação    
09:00: Escola Pingo de Ouro, Praça do Ciclo Operário – Grupos Temáticos
12:00: Casa do Samba – Almoço
14:00: Casa do Samba – Plenária Geral
O Encontro é dirigido à Gestores, Parlamentares, lideranças e militantes dos partidos políticos aliados, ocupantes de cargos de governos aliados diversos, Integrantes dos Movimentos Sociais e Sociedade Civil.
O objetivo é construir, de forma sistematizada, as propostas do Território do Recôncavo, que serão apresentadas oficialmente na Plenária do PGP, dia 13 de Abril, em Valença, junto aos Pré Candidatos da Chapa Majoritária.

Contamos com  Participação de todas e todos.
Continue lendo ...

Morreu o Historiador Francês Jacques Le Goff

0 comentários


Jacques Le Goff numa fotografia não datada AFPO historiador francês que revolucionou a historiografia moderna e reabilitou a imagem da Idade Média europeia, mostrando-a como um período bastante mais dinâmico do que o humanismo renascentista quis fazer crer, morreu nesta terça-feira em Paris, aos 90 anos, noticiou o jornal Le Monde.
Além de centenas de artigos, Jacques Le Goff tinha mais de 40 livros publicados, desde Os Intelectuais na Idade Média e Mercadores e Banqueiros na Idade Média, ambos de 1957 (as edições portuguesas são da Gradiva), até ao recente À la recherche du temps sacré, Jacques de Voragine et la Légende Dorée, de 2011.
Bernardo Vasconcelos e Sousa, autor da obra História de Portugal, juntamente com Rui Ramos e Nuno Monteiro, diz que Le Goff “é um dos historiadores mais importantes da segunda metade do século XX à escala mundial, sem dúvida e sem favor nenhum”. Com George Duby, outro grande historiador francês falecido em 1996, “mudou de forma radical e muito profunda a maneira de ver a Idade Média ocidental”.
O historiador francês pertencia à terceira geração de historiadores da escola dita dos Annales. A sua concepção de antropologia histórica e o seu interesse pela história da cultura e das mentalidades, de O Nascimento do Purgatório à monumental biografia do rei São Luís, distinguem-no dos modelos de interpretação social e económica de Fernand Braudel, representando um modo criativo de retomar o legado da revista fundada em 1929 por Marc Bloc.
Sucessor de Braudel na direcção da École des Hautes Études en Sciences Sociales, publica em 1964 A Civilização do Ocidente Medieval (edição portuguesa da Estampa), uma obra que toma como objecto de estudo um vasto âmbito geográfico e um período de tempo longo e nos dá, diz Bernardo Vasconcelos e Sousa, uma nova Idade Média “combatendo quer a visão negra de uma Idade Média de ‘feios, porcos e maus’, que ainda hoje tem uma representação no discurso político ou jornalístico, quer uma imagem dourada e cor-de-rosa”, alimentada pelo romantismo. Na Idade Média que construiu, juntamente com a sua geração, “estudam-se as estruturas, as mentalidades, os valores, as representações do quotidiano”.
Se tivesse de escolher uma obra para um leitor leigo, Vasconcelos e Sousa destacaria A Civilização do Ocidente Medieval, “um livro de carácter científico que se lê como um bom romance”, um manual de história geral onde Le Goff defende a existência “de uma civilização do Ocidente medieval”, uma civilização que sucede à Antiguidade Greco-Romana e antecede o mundo moderno.
O historiador da Universidade Nova de Lisboa cita também O Nascimento do Purgatório (a obra que o próprio Le Goff preferia entre as outras) como “um livro magistral”, onde se analisa a criação, a invenção, do Purgatório, sobretudo a partir do século XII, como lugar intermédio entre o Céu e o Inferno: “Mesmo que não se esteja em condições de aceder de imediato à harmonia celestial, há uma lugar intermédio, de esperança, que possibilita que se venha a aceder ao Céu. É uma sociedade que se está a diversificar, a complexificar, e isso teve consequência na estruturação do pensamento e da devoção cristãos.”
Na obra Para Um Novo Conceito da Idade Média, onde junta vários pequenos estudos, Vasconcelos e Sousa destaca um intitulado “O tempo da Igreja e o tempo do mercador”, em que o historiador francês compara e contrapõe uma representação da vivência do tempo por parte da Igreja, de um tempo cíclico das horas litúrgicas, dos ciclos naturais, a um tempo quantificado dos mercadores, um tempo linear, um tempo que é dinheiro: “Esse tempo começa a fazer a sua afirmação a partir dos séculos XIII e XIV, passando pela sua materialização, quantificado já não pela sucessão das horas diárias, pelo bater do sino das igrejas, mas pelo relógio mecânico que começa a surgir precisamente nas cidades ao longo do século XIV.”
Na sua abordagem antropólogica, na sua ambição de abarcar o homem em todas as suas dimensões, Le Goff construiu uma história das mentalidades medievais em que mostrou como estavam então interligados domínios aparentemente tão distantes como a teologia ou o comércio.
Esta diversificação dos temas, que abriu muitas linhas de investigação, dá uma ideia, diz Vasconcelos e Sousa, “da revolução que houve nos estudos medievais, de que Le Goff e Duby foram mais directamente responsáveis”.
A nova história
Nos anos 1970, coordena duas obras colectivas de grande envergadura que se tornarão as referências teóricas da Nouvelle Histoire, a corrente historiográfica que funda com Pierre Nora, e que procurará levar mais longe a herança dos Annales: os três volumes de Fazer História (1974), e A Nova História, em colaboração com Jacques Revel (1978). A primeira foi traduzida pela Bertrand e a segunda pelas Edições 70.
Num artigo de 2010 que a edição online do jornal Le Nouvel Observateurrecuperou a propósito da morte de Le Goff, André Burguière defende a tese de que, tal como os alemães têm de ter, em cada época, um grande filósofo, os franceses “querem ter um grande historiador que o mundo inteiro lhes inveje”. E acrescenta que desde a morte de Fernand Braudel esse historiador era Jacques Le Goff.
Burguière lembra que Le Goff sempre se reclamou da lição de Marc Bloch, co-fundador da revista Annales e pioneiro em contrapor à historiografia convencional do feudalismo uma abordagem sociológica. Mas as investigações de Bloch e dos seus discípulos focavam-se essencialmente na história rural e agrícola. Caberá a Le Goff propor uma história da cidade medieval, já anunciada nos títulos dos seus primeiros livros, que evocam, com um sabor deliberadamente anacrónico, os intelectuais e banqueiros da Idade Média. Le Goff, diz Burguière, “combate o lugar-comum que identifica a herança da Idade Média com o mundo rural”.
Quando recebeu, em 2004, o prestigiado prémio Dr. A. H. Heineken de História, atribuído pela Academia Real das Artes e Ciências dos Países Baixos, a declaração do júri dizia que Le Goff “mudou a nossa percepção da Idade Média”.

Le Goff punha mesmo em causa as cronologias tradicionais, defendendo que a Idade Média correspondia a todo o período durante o qual a Igreja e a respectiva doutrina tinham sido consideradas como a fonte da verdade, um estado de coisas que só teria verdadeiramente sido posto em causa, na esfera económica, com a revolução industrial iniciada em Inglaterra em meados do século XVIII, e também, na ordem das mentalidades, com a Revolução Francesa. Ou seja, teríamos uma Idade Média que se estenderia até à primeira metade do século XVIII e que, desde o século IV, teria tido, diz Le Goff numa entrevista ao mesmo André Burguière, “várias fases de progresso que se podem qualificar como renascenças”, do desenvolvimento das cidades à criação das universidades. Le Goff crê ainda que uma das mais fundas dívidas do sujeito moderno ao cristianismo medieval é o reconhecimento da “noção de interioridade”, que este favoreceu.

De Ivanhoe aos Annales
Filho de um professor de inglês, Jacques Le Goff nasceu no dia 1 de Janeiro de 1924 em Toulon, no Sul de França, onde fez os estudos liceais e teve como professor o historiador Henri Michel, que depois se tornaria um especialista na história da Segunda Guerra. Le Goff referir-se-ia sempre com veneração a Henri Michel, cujo magistério terá contribuído para que se tornasse historiador.
Mas Toulon, dirá mais tarde Le Goff, era uma cidade profundamente racista, e o estudante ficou satisfeito quando teve de se mudar para a mais cosmopolita Marselha, com o seu porto de mar e a sua população multiétnica.
Frequenta em Marselha os estudos preparatórios de acesso ao ensino superior, mas vai pouco às aulas. Convocado para o “serviço de trabalho obrigatório”, vulgo STO, imposto pela Alemanha nazi ao Governo de Vichy, foge e junta-se à Resistência. Leitor compulsivo e omnívoro, devora os romances históricos de Walter Scott, como Ivanhoe, cuja influência na sua decisão de se tornar medievalista ele próprio não descartará.
No pós-guerra, estuda literatura, mas acabará por se licenciar em História. Em 1947, prossegue os seus estudos na Universidade de Praga. Da invasão soviética que porá fim, em 1968, à Primavera de Praga, dirá depois Le Goff que foi a “vacina” que o imunizou definitivamente contra o comunismo.
Concluídas as provas de agregação em 1950, torna-se professor e começa por dar aulas num liceu de Amiens, vai depois para a Universidade de Oxford como bolseiro, e em 1954 assume funções docentes na Universidade de Lille.
Em 1958 conhece o historiador Maurice Lombard, especialista no islão medieval, um encontro que se revelará decisivo. Le Goff dirá sempre que foi com Lombard que mais aprendeu, e foi também ele que o apresentou a Braudel, que após ter lido as primeiras obras do jovem historiador lhe arranja um lugar de assistente na prestigiada VI Secção (ciências económicas e sociais) da École Pratique d’Hautes Études, que então dirigia.
Em 1969, Le Goff torna-se co-director da revista Annales e, em 1972, sucede a Braudel na presidência da VI Secção da École Pratique d’Hautes Études.
Grande comunicador, estreia-se em 1968 no programa radiofónico Les Lundis de l’Histoire, que ainda hoje é emitido pela France Culture, e com o qual Le Goff colaborou até ao final da vida. Fonte: Folha.com
Continue lendo ...

terça-feira, 1 de abril de 2014

FINAL DO TORNEIO DOS AMIGOS DO GRAVATÁ DE CIMA

0 comentários

Aconteceu no último domingo (30/03), a final do Torneio dos Amigos do Gravatá de Cima, envolvendo as equipes do GUARANI (Gravatá) X CEARÁ (Gov. Mangabeira o placar final foi de 1 a 0 para os visitantes, sendo que o time do Gravatá ficou em segundo lugar, já o Corinthians de Muritiba ficou com a terceira colocação por ter um saldo de gol superior ao time do projeto. 
Em nome da comissão organizadora, gostaríamos de agradecer aos atletas que participaram da brincadeira, bem como aos nossos parceiros do esporte que contribuíram para a realização do mencionado campeonato, são eles:
Prefeitura Municipal de Muritiba;
Secretaria de Cultura Esporte e Lazer (Muritiba)
Diretória de Esporte (Gov. Mangabeira)
SEPROMI (Prof. Borges)
Deputado Federal Luiz Alberto;
Vereador Nerinho; 
Vereador Fabio de Telinho; 
E por último, porém não menos importante, fazemos um agradecimento especial a comissão organizadora do torneio: Binho, Reginaldo, Jorginho, Cássio, Gringo e Totó pelo esforço, organização e dedicação.
Continue lendo ...
 

Professor Borges Todos os direitos reservados © 2017 Ulisses D