Postagens

Negros são a maioria das vítimas de crimes violentos no Brasil, mostra levantamento

Imagem
A  violência racial  continua sendo um grave problema no país, indica o recém-divulgado 16° Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Os dados mostram que  pessoas negras  ainda são a maioria das vítimas de uma série de crimes violentos. Entre as mortes violentas intencionais —categoria que reúne homicídio doloso, latrocínio, lesão corporal seguida de morte e mortes por intervenção policial—, 78% foram de negros e 21,7% de brancos. No Brasil, 56% da  população é negra , segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). No caso das mortes pela polícia, a diferença é ainda maior: 84% dos alvos são negros. Em 2021, este índice apresentou queda de 31% entre a população branca, mas cresceu 5,8% entre os negros, em comparação ao ano anterior. Entre os próprios policiais civis e militares que são alvo de mortes violentas, a maioria, 67,7%, também é negra. Já entre as vítimas de feminicídio, 62% são negras e 37,5% são brancas. Outro dado alarmante é o da evolução da popu

Chico Xavier: o médium filho de analfabetos que vendeu 50 milhões de livros

Imagem
  Francisco Cândido Xavier, o Chico Xavier (1910-2002), costumava dizer que iria "desencarnar" em um dia de festa para o Brasil, para que sua morte não fosse lembrada com tristeza. Para os céticos, uma coincidência; para os que acreditam, mais uma prova das capacidades do médium — Xavier morreu exatamente há 20 anos, no mesmo domingo em que o Brasil venceu a Alemanha na final da Copa do Mundo e conquistou o sonhado pentacampeonato. Ele tinha 92 anos e era uma personalidade amplamente conhecida no país. O filho de um vendedor de bilhetes de loteria e de uma lavadeira, ambos analfabetos, havia se tornado o maior médium brasileiro, tendo escrito mais de 10 mil cartas psicografadas e se consolidado como dono de uma obra de mais de 450 livros — cuja autoria sempre foi atribuída a espíritos. No total, vendeu cerca de 50 milhões de exemplares. Nascido em Pedro Leopoldo, pequeno município na região metropolitana de Belo Horizonte, Xavier alcançou a notoriedade com a publicação

Por que a Bahia comemora a independência em 2 de julho

Imagem
  Embora praticamente desconhecida em outras regiões do país, é uma das maiores da Bahia. Nela, os baianos comemoram a expulsão das tropas portuguesas e a independência do Estado, ocorrida no mesmo dia de 1823, depois de um ano e cinco meses de uma guerra sangrenta, que envolveu de 10 a 15 mil soldados de cada lado e causou mais de duas mil mortes em combate. A festa remete à chegada a Salvador, em 2 de julho de 1823, do exército — se é que a palavra se aplica a uma tropa maltrapilha — libertador brasileiro, que havia expulsado os portugueses. Os primeiros soldados começaram a chegar pela manhã. Não pareciam fazer parte de um exército vitorioso. Estavam descalços, quase nus, fracos e cansados. Situação bem diferente da cena do quadro  Entrada do Exército Libertador , do artista Presciliano Silva, pintado em 1930 e hoje exposto no Memorial da Câmara Municipal de Salvador. Ele mostra o comandante brasileiro, o então coronel Joaquim de Lima e Silva, tio de Luiz Alves de Lima e Silva,

Senado aprova Dia Nacional do Candomblé

Imagem
O plenário do Senado aprovou, nesta quinta-feira (30,) o PLC 69/2018, que institui o Dia Nacional das Tradições das Raízes de Matrizes Africanas e Nações do Candomblé, a ser comemorado anualmente no dia 21 de março. Como houve alteração no texto da Câmara, a matéria retorna para a avaliação dos deputados. O texto inicial, de autoria do deputado Vicentinho (PT-SP), estabelecia a comemoração no dia 30 de setembro. Entretanto, o relator na Comissão de Educação (CE), senador Paulo Paim (PT-RS), propôs alterar a data, já que o dia 21 de março foi escolhida pela Organização das Nações Unidas (ONU) para estabelecer o Dia Internacional Contra a Discriminação Racial. “A ocasião relembra o massacre de 69 pessoas negras que protestavam pacificamente contra o regime de segregação racial na África do Sul, em 1960”, explicou. Em plenário, o senador Paulo Paim agradeceu ao autor por aceitar a mudança para o dia 21 de março, e reafirmou a importância simbólica da proposta, que retornará para vot

Gil 80 anos: ‘“Vamos fugir” é a música mais tocada do imortal baiano

Imagem
A o todo são 784 músicas gravadas por Gilberto Gil  e inscritas no banco de dados do Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad). De todas, 'Vamos fugir (give me your love)' foi a canção mais tocada nos últimos 10 anos. A informação foi divulgada pelo próprio Ecad nesta sexta-feira (24), e faz parte de um estudo em homenagem aos 80 anos do cantor baiano. 'Aquele Abraço', samba que cita Chacrinha e a escola de samba da Portela, aparece em segundo lugar das mais tocadas. Os dados levam em conta as repetições nos segmentos de execução pública, como rádio, shows e músicas ao vivo. Entre as regravações mais repetidas por outros artistas, a campeã é 'Lamento Setanejo', composição de Gil com o sanfoneiro Dominguinhos. A canção lançada na década de 70 faz parte do álbum Refazenda e explora características da vida no sertão. Na sequência de regravações, estão "Aquele abraço", "Palco", "Expresso 2222" e "Vamos fugir (give me

Brasil ganha 7,2 milhões de miseráveis em apenas um ano

Imagem
  E ntre 2020 e 2021, 7,2 milhões de brasileiros passaram a viver abaixo da linha da pobreza. Com isso, em apenas um ano, o total de pessoas nessa situação cresceu 42,11% e atingiu a marca de 23 milhões, o que representa 10,8% da população. Trata-se do maior número de pessoas vivendo abaixo da linha da pobreza desde 2015, quando o levantamento começou a ser feito pelo Centro de Políticas Sociais da Fundação Getulio Vargas (FGV-Social).  É importante destacar que são considerados abaixo da linha pobreza aqueles que vivem com menos de R$ 210 por mês, o que os próprios autores do estudo consideram um valor insuficiente para atender as necessidades básicas.  “Tal linha, embora baixa para suprir necessidades básicas, é usada como critério de elegibilidade a algum benefício pelo Auxílio Brasil”, explicam Marcelo Neri e Marcos Hecksher na apresentação do trabalho ( acesse aqui a íntegra do estudo ). Política do improviso O estudo também mostra que a população mais pobre tem sofrido