quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

Historiadora de Governador Mangabeira, defende doutorado na UNIRIO

0 comentários





Na última terça-feira (11/02/2020), a historiadora mangabeirense – Alaize dos Santos Conceição, defendeu sua tese de doutorado pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), com o título: “Vai buscar no mato o que você enjeitou!” práticas religiosas e devoções negras no Vale do Iguape. Recôncavo Sul da Bahia (c.1930- c.1980), orientada pelo Prof. Dr. Anderson José Oliveira, sendo os participantes da banca: as professoras doutoras Cláudia Rodrigues, Andrea Barbosa Marzano, Mariza de Carvalho Soares e Wilson Roberto de Mattos.

Usando como foco principal as comunidades quilombolas do Vale do Iguape (Cachoeira – BA), Conceição organiza seu problema de pesquisa a partir do questionamento inicial: “Como as práticas religiosas vinculadas às experiências cotidianas no mundo do trabalho, da família, das festas e as práticas curativas refletiram nas vivências das populações negras do Recôncavo baiano, entre 1920 e 1980?” Questão que alicerça sua tese, através de várias reflexões, com destaque para a concepção de que: “As práticas religiosas e os atos devocionais tendem a redimensionar o cotidiano dos indivíduos produzindo efeitos materiais para aqueles que creem. Através da religiosidades dos sujeitos, há o compartilhamento de experiências em todas as esferas do vivido: família, trabalho, lazer, contribuindo para a identificação coletiva dos espaços e a formação dos território dos saberes”.

Essas reflexões foram fundamentadas em conceitos como: práticas culturais, cultura e memória, utilizando como vertente metodológica principal, as fontes orais, através dos depoimentos de pessoas que residem na área do Vale do Iguape. A autora, também recorreu as fontes escritas, destacando documentos como: relatórios médicos, correspondências direcionadas à Secretaria de Educação e Saúde, Leis, Decretos, Códigos de Posturas e outros.

Alaize dos Santos Conceição, atualmente é professor do Colégio Estadual Professor Edgard Santos – CEPES (Governador Mangabeira) e professora substituta da Universidade do Estado da Bahia –UNEB, instituição na qual realizou sua licenciatura e mestrado em História, também é forte defensora dos direitos e empoderamento das mulheres, bem como pelo reconhecimento e valorização da história do povo negro no Brasil.

“Parabenizo a professora Alaize por mais esta relevante conquista em sua vida, algo que condecora toda sua vitoriosa trajetória, a qual foi constituída de muitos sacrifícios e desafios, mas que com inteligência, criticidade e responsabilidade conseguiu vencer. Também, parabenizar pela extraordinária tese de doutorado, construída de um significativo estudo historiográfico, tornado visível aspectos da cultura e devoções religiosas da população negra do Vale do Iguape, situado no Recôncavo baiano. Valeu professora Alaize, você realmente é uma referência para todos nós mangabeirenses, sucesso na sua caminhada, rumo ao pós-doutorado”, salientou professor Borges.
Continue lendo ...

domingo, 2 de fevereiro de 2020

Iemanjá a Rainha do Mar

0 comentários
Iemanjá é a Rainha do Mar e as suas representações no Candomblé são Asèssu, a Iemanja vestida de verde e Assabá, a Iemanja vestida de azul. Com o nome derivado da expressão Iorubá “Yèyé omo ejá” que significa “Mãe cujos filhos são peixes”, Iemanjá, Yemanjá, Yemaya, Iemoja ou Yemoja, é um orixá africano, identificada no jogo do merindilogun pelos odu ejibe e ossá. Na Mitologia Yoruba, a dona do mar é Olokun que é mãe de Yemojá, ambas de origem Egbá.
Yemojá, que é saudada como Odò (rio) ìyá (mãe) pelo povo Egbá, por sua ligação com Olokun, Orixá do mar (masculino (em Benin) ou feminino (em Ifé)), muitas vezes é referida como sendo a rainha do mar em outros países. Cultuada no rio Ògùn em Abeokuta.
Iemanjá, rainha do mar, é também conhecida por dona Janaína, Inaê, Princesa de Aiocá e Maria, no paralelismo com a religião católica. Aiocá é o reino das terras misteriosas da felicidade e da liberdade, imagem das terras natais da África, saudades dos dias livres na floresta.
Além da grande diversidade de nomes africanos pelos quais Iemanjá é conhecida, a forma portuguesa Janaína também é utilizada, embora em raras ocasiões. A alcunha, criada durante a escravidão, foi a maneira mais branda de “sincretismo” encontrada pelos negros para a perpetuação de seus cultos tradicionais sem a intervenção de seus senhores, que consideravam inadimissíveis tais “manifestações pagãs” em suas propriedades[2]. Embora tal invocação tenha caído em desuso, várias composições de autoria popular foram realizadas de forma a saudar a “Janaína do Mar” e como canções litúrgicas.
Pierre Verger ou Pierre Edouard Leopold Verger foi um fotógrafo e etnólogo autodidata franco-brasileiro, babalawo, que é um sacerdote Yoruba. Verger dedicou a maior parte de sua vida ao estudo da diáspora africana, as religiões afro-derivadas do novo mundo, bem como os seus fluxos culturais e econômicos resultando de e para a África. No livro Dieux D’Afrique registrou: “Iemanjá, é o orixá dos Egbá, uma nação iorubá estabelecida outrora na região entre Ifé e Ibadan, onde existe ainda o rio Yemoja. Com as guerras entre nações iorubás levaram os Egbá a emigrar na direção oeste, para Abeokuta, no início do século XIX. Não lhes foi possível levar o rio, mas, transportaram consigo os objetos sagrados, suportes do axé da divindade, e o rio Ògùn, que atravessa a região, tornou-se, a partir de então, a nova morada de Iemanjá. Este rio Ògùn não deve, entretanto, ser confundido com Ògún, o orixá do ferro e dos ferreiros.”
No Brasil, Iemanjá é muito popular entre os seguidores de religiões afro-brasileiras. Em Salvador ocorre no dia 2 de Fevereiro, uma das maiores festas do país em homenagem à “Rainha do Mar”. A celebração envolve milhares de pessoas que, trajadas de branco, saem em procissão até ao templo-mor, localizado próximo à foz do rio Vermelho, onde depositam variedades de oferendas, tais como espelhos, bijuterias, comidas, perfumes e toda sorte de agrados.
Outra festa importante dedicada a Iemanjá ocorre durante a passagem de ano no Rio de Janeiro. Milhares de pessoas comparecem e depositam no mar oferendas para a dividade. A celebração também inclui o tradicional “Banho de pipoca” e as sete ondas que os fiéis, ou até mesmo seguidores de outras religiões, pulam como forma de pedir sorte à Orixá.
Na Umbanda, é considerada a divindade do mar, além de ser a deusa padroeira dos náufragos, mãe de todas as cabeças humanas.
As qualidades da rainha do mar
Yemowô – que na África é mulher de Oxalá,
Iyamassê – é a mãe de Sàngó,
Yewa – rio africano paralelo ao rio Ògún e que frequentemente é confundido em algumas lendas com Yemanjá,
Olossa – lagoa africana na qual desaguam os rios Yewa e Ògún,
Iemanjá Ogunté – que casa com Ògún Alagbedé,
Iemanjá Asèssu – muito voluntariosa e respeitável,
Iemanjá Saba ou Assabá – está sempre fiando algodão é a mais jovem.
* Dia: Sábado.
* Data: 2 de fevereiro.
* Metal: prata e prateados.
* Cor: prata transparente, azul, verde água e branco.
* Comida: manjar branco, acaçá, peixe de água salgada, bolo de arroz, ebôya, ebô e vários tipos de furá.
* Arquétipo dos seus filhos: voluntarioso, fortes, rigorosos, protetores, caridosos, solidários em extremo, ingênuos, amigo, tímido, vaidosos com os cabelos principalmente, altivos, temperamentais, algumas vezes impetuosos e dominadores, e tem um certo medo do mar.
* Símbolos: abebé prateado, alfange, agadá, obé, peixe, couraça, adê, braceletes, e pulceiras.
Existe um sincretismo entre a santa católica Nossa Senhora dos Navegantes e a orixá da Mitologia Africana Iemanjá. Em alguns momentos, inclusive festas em homenagem as duas se fundem. No Brasil, tanto Nossa Senhora dos Navegantes como Iemanjá tem sua data festiva no dia 2 de fevereiro. Costuma-se festejar o dia que lhe é dedicado, com uma grande procissão pelo mar.
No dia 8 de dezembro, outra festa é realizada à beira mar baiana: a Festa de Nossa Senhora da Conceição da Praia. Esse dia, 8 de dezembro, é dedicado à padroeira da Bahia, Nossa Senhora da Conceição da Praia, sendo feriado municipal em Salvador. Também nesta data é realizado, na Pedra Furada, no Monte Serrat em Salvador, o presente de Iemanjá, uma manifestação popular que tem origem na devoção dos pescadores locais à Rainha do Mar – também conhecida como Janaína
A tradicional Festa de Iemanjá na cidade de Salvador, capital da Bahia, tem lugar na praia do Rio Vermelho todo dia 2 de Fevereiro. Na mesma data, Iemanjá também é cultuada em diversas outras praias brasileiras, onde lhe são ofertadas velas e flores, lançadas ao mar em pequenos barcos artesanais.
A festa católica acontece na Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia, na Cidade Baixa, enquanto os terreiros de Candomblé e Umbanda fazem divisões cercadas com cordas, fitas e flores nas praias, delimitando espaço para as casas de santo que realizarão seus trabalhos na areia.
No Brasil, Iemanjá na versão de Pierre Verger, representa a mãe que protege os filhos a qualquer custo, a mãe de vários filhos, ou vários peixes, que adora cuidar de crianças e animais domésticos.
{gallery}2012/iemanja{/gallery}
Continue lendo ...

quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

Ex-prefeita Domingas da Paixão e membros do Diretório Municipal de Governador Mangabeira se reúnem com o Presidente Estadual do PT

0 comentários


Hoje (23/01/2020), a ex-Prefeita Domingas da Paixão, juntamente com membros do Diretório Municipal do PT em Governador Mangabeira (Professor Borges, João Carlos e Daniel Souza), foram recebidos pelo Presidente Estadual do Partidos dos Trabalhadores – Éden Valadares, na sede da agremiação em Salvador. Na oportunidade foram abordados diversos assuntos, com destaque para aqueles relacionados as eleições deste ano no citado município, com diálogos voltadas para a importância da pré-candidatura a prefeita de Domingas da Paixão pelo PT, bem como a necessidade do partido eleger vereadores nas eleições de 2020. Também, esteve presente na reunião o senhor Roque, assesor do Deputado Estadual Marcelino Galo (PT).

Anteriormente a comitiva se reuniu com o secretário de Organização do PT – Osmar Galdino (Jojó), dialogando acerca dos parâmetros legais do pleito eleitoral do ano virgente. Em seguida, os citados filiados estiveram no escritório do Deputado Federal Jorge Solla para tratar de possíveis atividades e ações a serem desenvolvidas no município em diversas áreas, através de órgãos do governo do Estado.

“A nossa ida a Salvador foi bastante produtiva, principalmente no sentido de dialogar acerca do papel do PT local nas eleições deste ano, observando na fala do presidente estadual Éden Valadares a importância da pré-candidatura de Domingas da Paixão para prefeita de Governador Mangabeira, bem como para ampliar a presença do PT na região do Recôncavo, além da luta para eleger filiados(as) para a Câmara de Vereadores. Agradeço pela acolhida, tanto no Diretório Estadual, como no escritório do deputado Jorge Solla. Também, agradeço a João Carlos, Daniel e Domingas pela companhia nessa significativa atividade”, enfatizou professor Borges – presidente do Diretório Municipal do PT.     
Continue lendo ...

segunda-feira, 20 de janeiro de 2020

Serra do Aporá - Recôncavo baiano

0 comentários

 
Por: Jânio Roque Barros de Castro.

No Brasil não temos montanhas na verdadeira acepção da palavra. As projeções abruptas e pontiagudas que correspondem aos dobramentos modernos, como a Cordilheira dos Andes, inexistem no extenso território brasileiro, que, do ponto de vista das unidades geológicas, apresentam bacias sedimentares e escudos cristalinos. Chamamos de serras as cristas residuais escarpadas, agrupadas ou não, arredondadas ou recortadas, que destoam no campo visual do observador mesmo a distância. Vistas de longe parecem ser azuis.

Observadas de perto, nota-se que sua cor pode variar sazonalmente: diferentes tons de verde no período de chuvas, entremeados pelas cores acizentadas dos afloramentos rochosos ou dos solos, que podem apresentar tons de amarelados a depender da composição ou tipologia (a exemplo dos latossolos das áreas tropicais).

No caso específico da Serra do Aporá, destacada nessa foto, a primeira quinzena do mês de dezembro é final de primavera, portanto é período de estiagem e a vegetação está seca. Partindo-se do topo dessa imponente forma de relevo, aqui usada como referente geográfico, pode-se ver, olhando no sentido leste (em direção a cidade de Cruz das Almas), que a vegetação está mais verde. Ao voltar nosso campo visual no sentido oeste (na direção da cidade de Cabaceiras do Paraguaçu), nota-se que a vegetação vai se tornando mais seca e esparsa.

Trata-se portanto de um área de interface fitogográfica que se esboça visualmente. Ao lado da serra passa uma estrada vicinal que acessa um um povoado, que integra a área territorial de Cabaceiras, chamado de Tupiaçu, na qual se nota claramente os elementos paisagísticos que caracterizam uma área de caatinga: cactáceas em conjunto, solos pedregosos, estiagem sazonal mais severa.

Nesse conjunto paisagístico nota-se um outro elemento destoante, que também pode ser visto claramente do topo da serra: o rio Paraguaçu, que nasce na Chapada Diamantina, região central da Bahia, atravessa parte do semiárido baiano e deságua na Baía de Todos os Santos, transitando por uma área de climas tropical sub-úmido e úmido do Recôncavo baiano. O espelho d’água se projeta visualmente sobretudo por causa do barramento de Pedra do Cavalo. Avista-se a área urbana de Cruz das Almas, uma importante cidade do Recôncavo baiano.

No dia 8 de dezembro, data na qual os católicos prestam homenagens a Nossa Senhora da Conceição em vários municípios nordestinos, tradicionalmente, dezenas de pessoas sobem em procissão a Serra do Aporá, na zona rural de Cabaceiras no Paraguaçu, na região do Recôncavo baiano. São pessoas de diferentes idades e com diferentes níveis de fé. Há aqueles/aquelas que consideram essa subida uma prática devocional. No entanto, muitos vão apenas pelo lazer, por curiosidade ou porque consideram a escalada ao aclive por um trajeto sinuoso e pedregoso uma prática mais esportiva e lúdica que uma manifestação de natureza religiosa.

No topo edificou-se uma pequena igreja e um cruzeiro nos quais os crentes católicos acendem velas e oram, buscando assim uma ligação com a dimensão espiritual. De onde teria vindo essa tradição? Muitas práticas religiosas tem um mito fundador ou ato inicial relacionado a especificidades locais, todavia, em muitas dessas situações destaca-se as influências de outros contextos que tem origem em trechos bíblicos e se constituiriam em práticas de reatualização, como destacou o historiador Mircea Eliade, em algumas obras clássicas no século passado. A manifestação religiosa pode ter uma origem e uma dinâmica ligada tanto a questões locais/regionais, quanto a uma dimensão bem mais alargada, ou até mesmo as duas situações. Todos os anos eu subo a serra para fotografar, conversar, observar, aprender.
Jânio Roque Barros de Castro - Professor Titular da Universidade do Estado da Bahia - UNEB. Doutor em Geografia pela Universidade Federal da Bahia - UFBA.
Foto 1 - extraída da internet. Foto 2 - arquivo do professor Jânio Roque.

Continue lendo ...

domingo, 29 de dezembro de 2019

Encomendas de bolos, doces e salgados com Vanda Borges

0 comentários

 
 
Encomenda de bolos, doces e salgados para casamentos, aniversários, formaturas, confraternizações e outros eventos, com Vanda Borges (75-981645823), produtos com qualidade e preços atraentes.

Faça seu pedido pelo celular – WhatsaApp (75-981645823) ou na própria residência de Vanda – Sítio Torto II  – Governador Mangabeira – BA.
Continue lendo ...

domingo, 22 de dezembro de 2019

Em 2019, trajetória de vida da ex-prefeita Domingas da Paixão foi estudada por turma do CEPES e aluno da UFRB

0 comentários

 
 
Em 2019, trajetória de vida da ex-prefeita Domingas da Paixão foi estudada por turma do CEPES e aluno da UFRB
Durante o Projeto da Consciência Negra 2019 do Colégio Estadual Professor Edgard Santos - CEPES (Governador Mangabeira), cuja temática foi Mulheres Negras no Brasil: resistência, protagonismo e empoderamento, a trajetória de vida ex- prefeita Domingas Souza da Paixão foi estudada pela turma do 1º FM (ensino médio). Posteriormente ao evento, o estudante André Paulo Brito, do curso de História da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - UFRB, que estagiou na mencionada turma apresentou essa experiência pedagógica em uma evento dessa instituição superior: Mostra PIBID/Residência Pedagógica, entre os dias 09 e 10 de dezembro. 
A atividade em foco foi desenvolvida durante a terceira unidade, com culminância nos dias 13 e 14 de novembro de 2019. Levando em consideração que o Projeto da Consciência Negra foi dividido em subtemas, a turma do 1º FM esteve inserida na temática: Mulheres Negras no Brasil do século XXI: a luta pelo empoderamento, atendendo as seguintes etapas da proposta didática:
1. Escolha do subtema - Domingas da Paixão, através de votação realizada pelos próprios alunos.
2. Divisão da turma em 3 grupos, com as respectivas responsabilidades: história de vida, história política e produção de um vídeo, a serem apresentados na sala em forma de seminário.
3. Realização de pesquisas na internet e em livros acerca da história de vida de Domingas da Paixão.
4. Realização de entrevista com Domingas da Paixão.
5. Apresentação dos conteúdos pesquisados e do vídeo em sala de aula.
6. Produção de cartazes, banner e texto, além de ensaio de músicas para serem apresentados nos dias da culminância do Projeto.
7. Apresentação durante a culminância de cartazes, banner e da música Amigos para Sempre, música essa escolhida por Domingas da Paixão, como a que mais se identifica.   
Já o estagiário André Paulo, além de fazer uma exposição do banner durante o evento da UFRB, também realizou uma comunicação oral explicitando alguns aspectos da trajetória de vida de Domingas da Paixão, algo bem aceito pela comunidade acadêmica. Para tanto, o André realizou anteriormente uma oficina com a turma, bem como submeteu essa proposta metodológica para ser aprovada pela coordenação da mencionada mostra.
“Parabenizo a turma do 1º FM do CEPES pela dedicação e a forma qualificada de apresentação da atividade, bem como ao estudante de História da UFRB - André Paulo pela colaboração na coordenação dos trabalhos juntos aos alunos da turma, bem como pela forma relevante e competente que apresentou o trabalho no evento na cidade de Cachoeira no CAHL, evidenciando a importância da trajetória de vida de Domingas da Paixão, uma reverência da luta feminina por empoderamento e resistência aos preconceitos e estereótipos aos mulheres negras no Brasil", enfatizou o professor Borges, que coordenou a turma na mencionada atividade.
A seguir consta o conteúdo do banner e o vídeo produzido pela turma.
Breve Biografia
Domingas Souza da Paixão, nasceu em 05 de abril de 1955, na localidade do Gravatá de Cima (Governador Mangabeira), filha de Maria Almeida de Souza e Olívio Pereira da Paixão, cresceu trabalhando na agricultura e em olarias, chegou a comer caroços de jaca cozido para matar a sua fome, ainda jovem trabalhou como empregada doméstica, depois exerceu a função de funcionária pública. Sua trajetória é marca por lutas, desafios e conquistas.
Mãe de 4 filhos, sofreu discriminação racial várias vezes, mas não se abateu com esses preconceitos. Conseguiu exercer a função de Vereadora por 5 mandatos consecutivos e 2 mandatos como prefeita do município de Governador Mangabeira. Com uma fé inabalável, sempre expressa para as pessoas a máxima bíblica: “tudo posso naquele que mim fortalece”.
Trajetória Política  
1983 a 2004 – exerceu a função de vereadora por 5 mandatos consecutivos sendo a mais votada por várias vezes.
2004 – Se candidatou pela primeira vez para Prefeita, ficando em 3º lugar com mais de 3.000 votos.
2009 a 2012 – exerceu o seu 1º mandato como Prefeita, sendo eleita em 2008 com 6.540 votos.
2013 a 2016 – desenvolveu o seu 2º mandato como Prefeita, sendo reeleita em 2012 com mais de 6.300 votos.
Algumas realizações como Prefeita
1. Criação da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial – SEPROMI.
2. Aumento Salarial para os/as professores/as, superando 45%.
3. Abastecimento de água da Embasa para várias localidades.
4. Construção de 6 PSFs. Construção de mais de 150 casas populares.
5. Programa Jovem Aprendiz. Projeto juventude em ação.
6. Instalação da FAMAM e do IF Baiano.
Algumas ideias que defende
1. As negras e os negros têm que buscar a autovalorização.
2. A educação é melhor futuro para uma pessoa.
3. Política é respeitar o cidadão, olhando principalmente para as pessoas que mais precisam e para os jovens.
4. A palavra medo não tem espaço na minha mente e no meu coração.
5. Precisamos combater toda e qualquer forma de discriminação.
6. É muito importante a participação de mulheres e jovens na política.
Precisamos valorizar a mulher negra e elevar a sua autoestima. Essas mulheres podem chegar onde elas quiserem, pois são capazes”. (Domingas Souza da Paixão)
Fonte/Referência
PAIXÃO, Domingas Souza da. Depoimento aos alunos do 1º FM do CEPES. Governador Mangabeira, outubro de 2019.
COSTA, Juliana Rezende. Tirando uma lição da vida. A história de uma ex-empregada doméstica que se tornou prefeita. TCC. Cachoeira: UFRB, 2013.


Vídeo: disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=2-adkeio9To&t=110s
Continue lendo ...

sexta-feira, 20 de dezembro de 2019

CEPES e seus alunos atletas são homenageados em evento realizado pelo Instituto FutSocial

0 comentários


  
 
 
 
Ontem (19/12/2019) na cidade de Governador Mangabeira, no Fórum Esportivo, promovido pelo Instituto FUTSocial, coordenado por Sérgio Santana (Serginho), o Colégio Estadual Professor Edgard Santos – CEPES, juntamente com quatro de seus alunos praticantes do atletismo (Maria Sã Pedro Fíúza, Denilson Castro, Jailton Sena e Jailson Sena), foram homenageados com um troféu denominado de “Oscar do Esporte Mangabeirense”.


Representando o CEPES esteve presente o professor Borges, já o estudante Denilson Castro e a estudante Maria São Pedro Fiuza, receberam a honraria como destaque do atletismo mangabeirense, estes que juntamente com Jailton e Jailson Sena, fazem parte do Projeto Social Largue a Enxada Correndo, coordenado pelo ex-militar Vitorino Raimundo dos Santos, o qual também foi homenageado. Ressaltando, que durante o ano de 2019, o CEPES prestou apoio a esses atletas, juntamente com a Faculdade Maria Milza – FAMAM.

Além dos mencionados atletas, outros jovens esportistas receberam o mencionados troféu, vinculados a esportes como: futebol de salão (feminino e masculino), ciclismo, capoeira, baleado, futebol de campo, Karatê e outros. Também, foram homenageadas pessoas e instituições com relevantes serviços prestados ao esporte no município de Governador Mangabeira.

O evento também, contou com duas mesas temáticas, discutindo aspectos relacionadas ao Karatê (Prof. Marcus Pirôpo), Jiu Jitsu (Prof. Valtonei Chagas), Capoeira (Prof. Platini Alfredo Guerra) e Futebol de Salão (Treinadora Dilma Mendes e ex-atleta Solange Bastos), sendo que a coordenação das mesas ficou a cargo do professor Doutor em Geografia – Jânio Roque Barros de Castro.

“Parabenizamos ao Instituto FUTSocial, na pessoa de seu coordenador Sérgio Santana pela realização do significativo e qualificado evento, algo que demonstra a importância do esporte como uma mecanismo capaz de transformar a sociedade e desenvolver a cidadania, bem como parabenizamos a todos os atletas, instituições e pessoas que receberam o representativo Troféu, especialmente aos alunos do CEPES. Em tempo, em nome da direção, dos professores, funcionários e estudantes do CEPES, agradecemos pela homenagem prestada a nossa instituição de ensino”, salientou professor Borges.


A seguir consta o desempenho dos alunos atletas do CEPES no ano de 2019 nas principais corridas que os mesmos participaram, enfatizando que Maria São Pedro tem 17 anos de idade, Denilson 19, Jailton e Jailson 18 (gêmeos), esses três últimos oriundos do Projeto Social Portão Aberto.

Maria São Pedro Fiúza
 

Cidade / Corrida
Classificação
Salvador/Bancários
1º lugar geral
Muniz Ferreira
1º lugar geral
Valença
2º lugar geral
Serrinha
3º lugar geral
Salvador / Record (5 km)
3º lugar geral
Santo Antônio de Jesus
4º lugar geral
Gov. Mangabeira / Amigos de Vitorino
2º lugar geral / 1ª mangabeirense


Denilson Castro


Cidade / Corrida
Classificação
Santo Antônio de Jesus
2º lugar geral
Cachoeira
2º lugar geral
Serrinha
4º lugar geral
Salvador / Bancários
5º lugar geral e 1º na faixa etária
Salvador / Record
2º lugar na faixa etária
Gov. Mangabeira / Amigos de Vitorino
4º lugar geral / 1º mangabeirense



Jailton Sena 


Cidade / Corrida
Classificação
Santo Antônio de Jesus
6º lugar  geral e 2º na faixa etária
Cachoeira
10º lugar no geral e 1º na faixa etária
Serrinha
4º lugar na faixa etária
Salvador / Bancários
13º lugar no geral e 2º faixa etária
Gov. Mangabeira / Amigos de Vitorino
2º lugar na faixa e 2º mangabeirense
 
Jailson Sena


Cidade / Corrida
Classificação
Serrinha
2º lugar na faixa etária
Cachoeira
10º lugar geral e 1º na faixa etária
Salvador / Bancários
21º lugar geral / 4º lugar na faixa
Gov. Mangabeira / Amigos de Vitorino
4º lugar mangabeirense











Continue lendo ...
 

Professor Borges Todos os direitos reservados © 2017 Ulisses D