quinta-feira, 19 de julho de 2018

Equipe da UFRB realiza oficina no CEPES acerca do ingresso e da permanência nos curso de graduação

0 comentários




Na última terça-feira (17/07/2018), uma equipe da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia – UFRB, realizou uma oficina para os estudantes do terceiro ano do ensino médio (matutino) do Colégio Estadual Professor Edgard Santos – CEPES (Governador Mangabeira), acerca das formas de ingresso e permanência nos cursos de graduação da mencionada instituição de ensino superior.

Incialmente a equipe de servidores da Pró-Reitoria de Graduação da UFRB, formada por Geane da Conceição Dias,  Leandro Carvalho dos Santos, Joseane da Conceição Pereira Costa e Raphael Lima Costa, explanou acerca da estrutura da UFRB, que atualmente conta com  mais de 12 mil estudantes, divididos em 55 cursos de graduação, 13 de mestrado e 2 doutorados, sendo que do município de Governador Mangabeira existem 347 pessoas matriculadas nos cursos da UFRB, com destaque para as graduações em: Biologia (37), História (34), Serviço Social (21), Bacharelado em Ciências Exatas e Tecnológicas (17) e Tecnologia em Gestão de Cooperativas (16).

Também foi elucidado, que esse número expressivo de estudantes matriculados na UFRB, estão distribuídos por 7 centros: Cruz das Almas (Ciências Agrárias, Ambientais e Biológicas e Ciências Extas e Tecnológicas), Cachoeira (Ates, Humanidades e Letras), Amargosa (Formação de Professores), Santo Antônio de Jesus (Ciências da Saúde), Santo Amaro (Cultura, Linguagens e Tecnologias Aplicadas) e Feira de Santa (Ciência e Tecnologia em Energia e Sustentabilidade). Além disso, foi mencionado o Índice de Geral dos Cursos (IGC) da UFRB, medido pelo MEC, que atualmente está em 4, em uma escala máxima de 5, bem como se chamou atenção para o programa de intercâmbio internacional da instituição, apresentando o depoimento de uma estudante que se encontra em Portugal.

Já na segunda parte da oficina, aconteceu o diálogo acerca das formas de ingresso na UFRB, sendo que o primeiro passo consiste na realização da prova do ENEM e em seguida o estudante deve se inscrever no SISU, enfatizando o passo a passo dessa inscrição. Também, foram apresentadas as modalidades de bolsas existentes na instituição: Auxílio à Permanência – refere-se ao repasse pecuniário mensal, com duração de um ano, renovável anualmente. Auxílio à Moradia – refere-se a uma vaga na unidade de residência universitária; Auxílio Pecuniário à Moradia – refere-se ao repasse pecuniário mensal, com duração de um ano, renovável anualmente voltado para moradia.  Auxílio Deslocamento – refere-se ao repasse pecuniário mensal, com duração de um ano, renovável anualmente. Auxílio à Alimentação – refere-se ao acesso diário ao restaurante universitário.  Auxílio Creche – refere-se à concessão de auxílio creche (LDB 9394/96) a estudantes com comprovada demanda social para custear despesas com filhos/as.  Auxílio a participação de Eventos Acadêmicos – refere-se à concessão de uma ajuda para custeio de viagens para participação em Eventos Acadêmicos.

No terceiro momento, foram apresentadas as formas de acesso aos grupos do PET – Programa de Educação Tutorial, que atualmente é representado por nove grupos: Afirmação: Acesso e permanência de jovens de comunidades negras rurais no Ensino superior. Agronomia. Cinema. Conexão de Saberes: Acesso, permanência e pós-permanência na UFRB. Conexão de Saberes: Socioambientais. Conexão de Saberes: UFRB e Recôncavo em Conexão. Educação e Sustentabilidade. Mata Atlântica: Conservação e Desenvolvimento. Zootecnia.

Por fim, a equipe de servidores da UFRB, respondeu algumas perguntas dos estudante e professores presentes, bem como elogiaram a iniciativa do CEPES no sentido de permitir que os alunos tenham conhecimento das formas de acesso e permanência nos cursos da UFRB, a Universidade mais inclusiva do Brasil.

Vale salientar, que a UFRB é a primeira Universidade Federal do interior da Bahia, sendo que dos 12.345 estudantes, 91.5% são da Bahia. Ao todo, 83,4% dos estudantes se autodeclarados negros e 82% são oriundos de famílias com renda total de até um salário mínimo e meio, colocando em prática a perspectiva de inclusão social.

“Agradecemos profundamente a equipe da Pró-Reitoria de Graduação da UFRB por aceitar o nosso convite para apresentar aos estudantes do terceiro ano do ensino médio do CEPES, as formas de ingresso e permanência nos cursos dessa instituição, sem dúvidas uma atividade qualificada e muito enriquecedora. Também, agradecemos aos professores que liberam suas aulas para a realização do evento, o apoio da direção da escola, da equipe da Área de Humanas, na pessoa da professora Divanise Vieira e aos alunos pela participação na mencionada atividade, a qual procurou reforçar os valores e a importância da Universidade pública no Brasil, através do relevante exemplo da UFRB”, salientou professor Borges.

Continue lendo ...

domingo, 8 de julho de 2018

Jadeilson e Marcos: os mais novos Historiadores de Governador Mangabeira

5 comentários



Ontem (07/07/2018), no auditório da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) - Campus de Cachoeira, aconteceu a cerimônia de formatura do curso de Licenciatura em História, com destaque para dois mangabeirenses: Jadeilson Gomes de Oliveira e Marcos Antônio Oliveira Rodrigues. Também, participaram da formatura estudantes dos cursos de Artes Visuais, Jornalismo, Publicidade, Gestão Pública e Ciências Sociais. 

Sem dúvidas foi um ótimo evento, com mensagens críticas e qualificadas daqueles que usaram a palavra, a exemplo da Oradora Oficial – Laís Laiza (estudante de Ciências Sociais), quando destacou a importância da UFRB para a Bahia, principalmente no sentido da inclusão de jovens oriundos das camadas mais baixa da população e foi acompanhada pelos presentes quanto entoou o grito – “LULA LIVRE”. Já a deputada Alice Portugal (PCdoB), destacou o processo de criação da UFRB, que aconteceu durante o governo do ex-presidente Lula, bem como, alertou para o sucateamento das Universidades Federais imposto pelo atual governo. 
Algo que nos chamou atenção durante o evento foi a escolha da música a ser tocada durante a colação de grau do estudante Jadeilson Gomes, fazendo uma referência a ideia de LULA LIVRE – “chama, chama que o povo quer, chama, chama que o homem dar jeito”, demonstrando a sua opção política/ideológica, uma vez que o mesmo é presidente do Diretório Municipal do PT de Governador Mangabeira.
"Parabenizo a Jadeilson e Marcos por mais essa vitória em suas vidas, algo conquistado com muita luta e dedicação. Conquista que por certo deve inspirar outros jovens mangabeirenses, principalmente no sentido da importância do conhecimento histórico para a sociedade, pois não existe povo sem história, como dizia Karl Marx: "A História é o motor na humanidade. PARABÉNS"!, salientou professor Borges.
Continue lendo ...

terça-feira, 3 de julho de 2018

FAZER CHARUTOS: UMA ATIVIDADE FEMININA

0 comentários



Com uma rica e conceituada produção historiográfica, em 2001, a historiadora Elizabete Rodrigues da Silva, natural da cidade de Governador Mangabeira, defendeu sua dissertação de Mestrado pela UFBA com o título: FAZER CHARUTOS: UMA ATIVIDADE FEMININA. Utilizando-se de diversas fontes históricas, em especial as fontes orais, a pesquisadora discute o cotidiano feminino na produção de charutos na primeira metade do século XX em cidades do Recôncavo baiano como Muritiba, São Félix, Cachoeira e Maragogipe, além da Vila de Cabeças (atual município de Governador Mangabeira).
Com um olhar histórico fundamentado na concepção teórica da História das Mulheres, a autora em seu estudo visa “desvelar os papéis históricos das mulheres charuteiras, a partir de suas estratégias de sobrevivência que, ao lutar para vencer as necessidades materiais, a exploração' no/do trabalho e a discriminação sexual, assim como a invisibilidade social.”. (SILVA, 2001, p. 11).
A dissertação, oferece uma significativa contribuição para um novo olhar acerca da escrita da história, desvinculada das abordagens tradicionais do fazer histórico, mas fundamentada em uma “Nova História”, concepção historiográfica que prioriza os estudos voltados para temas como gênero, sexualidade, cotidiano, lazer, festas, família, religiosidade, trabalho, cultura e outros, tornando visíveis atores sociais até então excluídos pela história, a exemplo das charuteiras, ou seja, “aquelas que não tiveram vez nem voz, nem puderam escrever as suas próprias histórias. Dar vozes aos "excluídos da história" é, portanto, implementar uma ação democratizadora da própria história,”. (SILVA, 2001, P. 11)
Silva, definitivamente nos oferece uma narrativa que abandona a ideia de uma passado morto, sem relevância para mulheres e homens do presente e, nos aproxima de uma valiosa abordagem na relação presente/passado, sustentada por uma problematização estabelecida pelos dias atuais e que prioriza a participação popular na história.
Orientada pela doutora Lina Maria Brandão de Aras, a dissertação está estruturada em três capítulos: 1º - RECÔNCAVO FUMAGEIRO: PALCO DE UMA FISIONOMIA SOCIAL E CULTURAL. 2º -  SER MULHER. 3º - UMA INCURSÃO PELO COTIDIANO DAS CHARUTEIRAS. O texto completo pode ser encontrado no seguinte endereço eletrônico:
Com a mesma maestria e qualidade historiográfica da dissertação, em 2011, a historiadora Elizabete Rodrigues da Silva, resolveu ampliar o estudo acerca da atividade feminina na fabricação de charutos, defendendo sua tese de doutorado na UFBA como o título: AS MULHERES NO TRABALHO E O TRABALHO DAS MULHERES: UM ESTUDO SOBRE AS TRABALHADORAS FUMAGEIRAS DO RECÔNCAVO BAIANO, objetivando “estudar, no âmbito da história, a presença das mulheres trabalhadoras no contexto industrial fumageiro do Recôncavo baiano, no período que circunscreve a primeira metade do século XX”. (SILVA, 2011, p. 10).
Através da orientação da mesma professora do mestrado e fundamentada na vertente historiográfica das relações de gênero no trabalho, a mencionada tese está dividida em cinco capítulos: 1º - REDESENHANDO O CENÁRIO DO TRABALHO E DAS TRABALHADORAS FUMAGEIRAS. 2º - AS MULHERES FUMAGEIRAS E SUAS HERANÇAS SOCIOCULTURAIS. 3º - AS MULHERES FUMAGEIRAS E SEUS LUGARES NO TRABALHO FABRIL. 4º - A RESISTÊNCIA INVENTIVA DAS TRABALHADORAS FUMAGEIRAS. 5º - O TRABALHO EM DOMICÍLIO DAS MULHERES FUMAGEIRAS. O texto na integra está disponível no seguinte endereço eletrônico:
“Parabenizo a professora Elizabete Rodrigues da Silva pela sua valiosa e significativa produção historiográfica, sem dúvidas trabalhos enriquecedores no universo acadêmico na área de gênero do Brasil, demonstrando seu compromisso com uma escrita da histórica voltada para temas do cotidiano e vinculados a região do Recôncavo baiano, tornado visíveis personagens históricos até então subjugados pela história tradicional. Parabéns colega “Betinha”, como a chamamos lá no CEPES, sua produção acadêmica lhe credencia a ser titulada como uma das melhores historiadoras do Brasil.   
Elizabete Rodrigues da Silva: graduada em História pela Universidade do Estado da Bahia-UNEB (1998), Mestre em História pela Universidade Federal da Bahia-UFBA (2001) e Doutora em Estudos Interdisciplinares sobre Mulheres, Gênero e Feminismo pela Universidade Federal da Bahia-UFBA/NEIM (2010). Atualmente é professora titular da Secretaria de Educação do Estado da Bahia (Colégio Estadual Professor Edgard Santos - CEPES); Professora e Coordenadora do Mestrado Profissional em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente da Faculdade Maria Milza - FAMAM; atuou como Professora Pesquisadora I do PARFOR/UFRB. Tem experiência na área de História e Estudos de Gênero, com ênfase em História Regional do Brasil, atuando principalmente nos seguintes temas: gênero, trabalho, cotidiano e resistência.
Fontes:
Plataforma Lattes CNPQ. Currículo Lattes. Disponível em: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/busca.do. Acesso em: 01/07/2018.
SILVA, Elizabete Rodrigues. Fazer Charutos: Uma Atividade Feminina. Dissertação de Mestrado. Salvador: UFBA, 2001. Disponível em: https://ppgh.ufba.br/sites/ppgh.ufba.br/files/2001._silva_elizabete_rodrigues_da._fazer_charutos_uma_atividade_feminina.pdf. Acesso em: 01/07/2018.
_____. As Mulheres no Trabalho e o Trabalho das Mulheres: Um Estudo sobre as Trabalhadoras Fumageiras do Recôncavo Baiano. Tese de Doutorado. Salvador: UFBA, 2011. Disponível em: http://www.repositorio.ufba.br:8080/ri/bitstream/ri/6381/1/TESE.pdf. Acesso em: 01/07/2018.
Continue lendo ...

sexta-feira, 22 de junho de 2018

Quadrilha Junina da ASCULT se apresenta na Caravana do Forró do CEPES

1 comentários





Com uma bela apresentação a Quadrilha Junina da ASCULT - Associação Cultura da Localidade de Tocos I, município de Governador Mangabeira fez a abertura da IV Caravana do Forró do Colégio Estadual Professor Edgard Santos (CEPES), evento realizado no dia 21/06/2018. A Quadrilha tem dois anos de existência, conta atualmente com 31 componentes e foi idealizada pela jovem Simone Nascimento da Silva, secretária da ASCULT.

"O projeto de criação da Quadrilha, tem por objetivo mostrar para a comunidade e seu público geral os valores e a beleza da cultura popular brasileira, em especial as festas juninas, que vem sucumbindo com o passar do tempo, além de reviver juntamente com a comunidade essa cultura que é arte, é vida e a mistura de expressão de um povo que de várias formas busca mostrar o encanto fascinante desta cultura popular chamada Quadrilha Junina", salienta Simone Nascimento.

A elaboração do projeto da Quadrilha Junina da ASCULT, segundo sua coordenadora seguiu algumas etapas: primeiro contou com a aprovação dos sócios da ASCULT, segundo foi realizado um estudo sobre cultura popular brasileira com ênfase nas Quadrilha Juninas, terceiro: preparo psicológico dos participantes e as etapas seguintes foram: ensaios com 4 (quatro) meses de antecedência ao período junino e apresentações mediante agendamento;

Para comprar os tecidos, calçados e assessórios dos componentes da Quadrilha, a ASCULT realizou rifas e um leilão, além da contribuição financeira pessoal da presidente da instituição a senhora Noemia Nascimento da Silva e do seu esposo Hélio da Silva.

Vale ressaltar o total apoio da maioria dos sócios da ASCULT no desenvolvimento das atividades da Quadrilha, com destaque para os jovens Elaine Nascimento da Silva, Emerson Nascimento da Silva, Ailton Simões da Silva Neto e Taislane da Paz dos Santos. Também, é bom destacar o empenho e a dedicação dos jovens nos ensaios e na organização das atividades da Quadrilha.

Durante a apresentação no CEPES, a Quadrilha foi bastante aplaudida, bem como, sua performance foi bastante elogiada pelos professores e estudantes presentes na IV Caravana do Forró. Lembrando, que o marcador da Quadrilha nesse dia foi o jovem Gabriel, estudante da mencionada unidade de ensino, além dele existem outros dez alunos que fazem parte do grupo.
A Quadrilha já realizou diversas apresentações em localidades no município de Governador Mangabeira, também se apresentou em outras cidades como Cruz das Almas, Cabaceiras do Paraguaçu e Muritiba. 

Além da Quadrilha Junina, a ASCULT desenvolve outras atividades de cunho social e cultura como: samba de roda, oficinas de fantoche e leitura, aulas de violão, narração de histórias, alfabetização de jovens e adultos e recentemente aulas de desenho e outros.

"Parabenizo a ASCULT pela organização da Quadrilha Junina, uma atividade de valorização de um dos elementos da cultura brasileira, algo que contribui para a inclusão da juventude em aspectos relacionados a ressignificação da cultura junina, fomentando assim a manutenção de uma tradição. Também, parabenizo a jovem Simone Nascimento e a Senhora Noemia Nascimento pelo empenho e dedicação na criação e desenvolvimento das atividades da Quadrilha, bem como a todos os jovens que de forma brilhante se apresentam dançando o ritmo do forró, com passos marcantes da nossa identidades cultural. Parabéns”, salientou professor Borges.

Continue lendo ...

quinta-feira, 21 de junho de 2018

IV Caravana do Forró do Colégio Estadual Professor Edgard Santos

0 comentários







No ano que comemora o seu quadragésimo aniversário de fundação, o Colégio Estadual Professor Edgard Santos (CEPES), localizado na cidade de Governador Mangabeira, realizou a IV edição da Caravana do Forró, momento em que os estudantes, professores e funcionários se reúnem para manter viva a tradição da festa de São João, a base de muito forró e comidas típicas.
A abertura do evento foi realizada através da apresentação da quadrilha junina da ASCULT – Associação Cultural de Tocos I, composta por jovens da própria comunidade, dentre eles estudantes do CEPES, sendo coordenada pela secretária da mencionada instituição: Simone Nascimento da Silva. Em seguida foi a vez da apresentação da banda PH 10, proporcionando aos presentes um bom forró. Posteriormente, um casal de cada turma desfilou caracterizado com roupas juninas. E finalizando a Caravana do Forró do CEPES de 2018, a banda PH 10 voltou a se apresentar, animando todas as pessoas presentes com um delicioso forró.
O evento foi organizado pela área de linguagens e artes, coordenada pela professora Daniela Rodrigues, contando com o total apoio do corpo diretivo, demais professores e os funcionários da unidade de ensino. Para Rodrigues, “a caravana foi um sucesso, uma verdadeira aula de valorização da cultura junina, ao passo que agradeço a todos e a todas que contribuíram para a realização desse significativo evento”.
Já a diretora do CEPES, a professora Rita de Cássia Santana, salienta que: “os estudantes estão de parabéns pelo comportamento durante o evento e pela contribuição para realização das atividades, bem como, aos professores pela organização e a aos funcionários pelo apoio no desenvolvimento da IV Caravana do Forró, demonstrando o compromisso do CEPES com a valorização da cultural popular, relacionado o lúdico com práticas pedagógicas, contemplando assim, uma trajetória de sucesso de 40 anos de nossa instituição. Parabéns a todos e a todas”.
 
Continue lendo ...

domingo, 10 de junho de 2018

Ato Lula Livre - "Em Defesa da Democracia" - Governador Mangabeira - Bahia

1 comentários










Hoje (10/06) aconteceu na cidade de Governador Mangabeira – Bahia, o Ato Lula Livre - “Em Defesa da Democracia”. O evento foi organizado pelo Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores – PT, contando com a presença de várias lideranças políticas a nível municipal e estadual, além dos militantes e simpatizantes do PT na esfera local e regional.
As atividades foram coordenadas pelo presidente do PT municipal – Jadeilson Gomes. Nas falas das lideranças presentes, se manifestou o valor histórico do presidente Lula para o Brasil, bem como a necessidade da liberdade imediata de Lula, como forma de respeito aos princípios democráticos, uma vez que a prisão de Lula, configura-se como um ato arbitrário apoiado pela elite e a grande mídia brasileira, pois a luta histórica de Lula representa a inclusão do povo brasileiro em uma melhor condição de vida. Também, foram relatados os retrocessos da atual administração municipal, a qual representa a direita reacionária do brasileira, que contribuiu para tornar o presidente Lula um preso político e que não aceita a sua pré-candidatura a Presidente da República.
Na mesa de abertura estiveram presentes os seguintes representantes a nível municipal:  ex-prefeita Domingas da Paixão, os ex-prefeitos Antônio Pimentel e João Mamona, as vereadoras Elisa da Paixão e Maria das Graças Menezes, além da ex-vereadora Ane do Sindicato, representando a juventude o estudante da UFRB Diogo Nogueira e as mulheres – Maria Florinda - presidenta de honra do PT local. 
Da esfera estadual, se fizeram presentes: os representante dos deputados Marcelino Galo – Mário Henrique e Bira Coroa – Jorge Araújo, além de Luiz Alberto, Felipe Viveiros (representando Robinson Almeida), esses pré-candidatos a uma vaga na Assembleia Legislativa, Elizangela Ataújo, pré-candidata a deputada feral. Representando a direção estadual do PT – Marcelo Aguiar. 
Já na plateia, marcaram presença pessoas de diversos segmentos sociais e instituições: professores, comerciantes, sindicalistas, trabalhadores rurais, estudantes, presidentes de associações, ex-candidatos a vereador, funcionários públicos, presidentes de diretórios do PT de outras cidades do Recôncavo, os filiados e simpatizantes do PT, ex-vereadores (Luiz de Detinho, professor Borges e Louro de Catarino) e outras.

Também, foi exibido um áudio do ex-governador e pré-candidato a senador -Jaques Wagner, felicitando a todos e as todas pelo evento, bem como, enfatizando a importância da liberdade do presidente Lula.
Com um vídeo, onde o ex-presidente Lula demonstra as conquistas do seu governo para o povo brasileiro, o ato foi encerrado. O presidente do PT Jadeilson Gomes, agradeceu a presença de todos e todas no evento, também as pessoas que contribuíram para a realização dessa valiosa atividade, bem como, expressou sua gratidão ao Colégio Viana por ceder o espaço para a realização do Ato Lula Livre - "Em Defesa da Democracia", concluindo através da expressão: LULA LIVRE!!!
Continue lendo ...

segunda-feira, 4 de junho de 2018

Faraó - Divindade do Egito: um grande sucesso da música baiana.

105 comentários
Faraó - Divindade do Egito, de autoria de Luciano Gomes, completou 31 anos da sua primeira gravação. Em 1987, a canção foi gravada pelo grupo Olodum, seguido pela Banda Mel e por Margareth Menezes, esta última a responsável pela maior divulgação da mencionada música, que inaugura o samba reggae na Bahia. Faraó - Divindade do Egito, sem dúvidas configura-se como um dos grandes sucessos da música baiana.
A letra faz menção a vários aspectos da história do Egito Antigo, dentre eles podemos destacar a mitologia, religião, arquitetura e a política, bem como, constrói uma relação da cultura egípcia com a história afro-brasileira, em especial na Bahia.
A seguir consta a letra da música Faraó – Divindade do Egito.

“Deuses, divindade infinita do universo.
Predominante esquema mitológico.
A ênfase do espírito original, Shu,
formará no Éden o Ovo Cósmico.
A emersão, nem Osíris sabe como aconteceu.
A emersão, nem Osíris sabe como aconteceu.
A ordem, ou submissão do olho seu,
transformou-se na verdadeira humanidade.
Epopéia do Código de Geb.
E Nut gerou as estrelas.
Osíris proclamou matrimônio com Ísis
e o mau Seth, irado, o assassinou, em Empera Há.
Hórus, levando avante a vingança do pai,
derrotando o império do mau Seth,
o grito da vitória é que nos satisfaz.
Cadê? Tutankâmon
Ei Gizé
Akhaenaton
Ei Gizé
Tutankâmon
Ei Gizé
Akhaenaton
Eu Falei Faraó
Êeeee Faraó
Eu clamo Olodum Pelourinho
Êeeee Faraó
Pirâmide a base do Egito
Êeeee Faraó
É eu clamo Olodum rebentão
Êeeee Faraó
Batendo na palma da mão
Que mara-mara-mara
Maravilha-ê
Egito, Egito Ê
Que mara-mara-mara
Maravilha-ê
Egito, Egito Ê
Faraó-ó. Ó-ó-ó
Faraó-ó. Ó-ó-ó
Pelourinho, uma pequena comunidade
que porém o Olodum unira, em laços de confraternidade.
Despertai-vos para a cultura egípcia no Brasil:
em vez de cabelos trançados, veremos turbantes de Tutankâmon.
E as cabeças se enchem de liberdade.
O povo negro pede igualdade
deixando de lado as separações.
Cadê? Tutankâmon
Ei Gizé
Akhaenaton
Ei Gizé
Tutankâmon
Ei Gizé
Akhaenaton
Eu Falei Faraó
Êeeee Faraó
Eu clamo Olodum Pelourinho
Êeeee Faraó
Pirâmide a base do Egito
Êeeee Faraó
É eu clamo Olodum rebentão
Êeeee Faraó
Batendo na palma da mão
Que mara-mara-mara
Maravilha-ê
Egito, Egito Ê
Que mara-mara-mara
Maravilha-ê
Egito, Egito Ê
Faraó-ó. Ó-ó-ó
Faraó-ó. Ó-ó-ó”.


Continue lendo ...

domingo, 3 de junho de 2018

Portal Geledés publica artigo do professor Borges acerca da trajetória do Vereador Leopoldo da Rocha

0 comentários








O renomado portal (site) GELEDÉS, criado e coordenado pela escritora paulista Sueli Carneiro, publicou nesse sábado (02/06/2018) o artigo do professor Borges, intitulado: O NEGRO NA POLÍTICA: A TRAJETÓRIA DO VEREADOR LEOPOLDO SILVÉRIO DA ROCHA – GOVERNADOR MANGABEIRA - BAHIA (1983-2000). O artigo foi produzido para o TCC da especialização em História e Cultura Afro-brasileira e Indígena da UFRB (Universidade Federal do Recôncavo da Bahia), através da orientação da professora doutora Martha Rosa, também apresentado no XXIX Simpósio Nacional de História (Brasília 2017), promovido pela ANPUH - Associação Nacional de História.


No texto, o professor Borges discute a pequena participação dos negros e das negras na política brasileira, bem como, elucida a quebra desse paradigma ao longo da história do nosso país, destacando a trajetória do vereador Leopoldo Silvério da Rocha, o qual exerceu essa função no município de Governador Mangabeira - Bahia, entre os anos de 1983 a 2000, sendo o único Babalorixá (Pai de Santo) a ocupar essa função no Poder Legislativo Municipal. 

Leopoldo Silvério da Rocha, nasceu em 14 de fevereiro de 1945 na então Vila das Cabeças, atual município de Governador Mangabeira. Em 1963 fundou o Terreiro Ilé Oyó Mese Alaketu Axé Ogum Onirê. Exerceu a função de vereador por 4 mandatos (1982 a 2000), sendo presidente da Câmara entre 1995 e 1996. Faleceu no dia 14 de maio de 2006, em um trágico acidente na BR 101, juntamente com sua esposa Nanci Santos Leite e um sobrinho, deixando um extraordinário legado para a região do Recôncavo Baiano no que se refere o valor e importância do Candomblé, aspectos continuados pelo seu herdeiro Leomar Silvério da Rocha.

GELEDÉS Instituto da Mulher Negra fundada em 30 de abril de 1988. É uma organização da sociedade civil que se posiciona em defesa de mulheres e negros por entender que esses dois segmentos sociais padecem de desvantagens e discriminações no acesso às oportunidades sociais em função do racismo e do sexismo vigentes na sociedade brasileira.

Posiciona-se também contra todas as demais formas de discriminação que limitam a realização da plena cidadania, tais como: a lesbofobia, a homofobia, os preconceitos regionais, de credo, opinião e de classe social.

Dessa perspectiva, as áreas prioritárias da ação política e social de Geledés são a questão racial, as questões de gênero, as implicações desses temas com os direitos humanos, a educação, a saúde, a comunicação, o mercado de trabalho, a pesquisa acadêmica e as políticas públicas.

A seguir constam os links da publicação do artigo no portal GELEDÈS, bem como, no site do XXIX Simpósio de História.



Segue abaixo o resumo do mencionado artigo.
RESUMO: O presente artigo visa analisar a participação do negro na política brasileira, utilizando-se como estudo de caso a trajetória do Vereador Leopoldo Silvério da Rocha, que exerceu essa função no período de 1983-2000, no município de Governador Mangabeira, localizado na região do Recôncavo da Bahia, sendo um dos primeiros negros e o único adepto de religião de matriz africana a ocupar uma cadeira no Parlamento municipal no período analisado. Para tanto, utilizou-se como fontes os livros de atas da Câmara de Vereadores, decretos, leis e outros documentos, bem como, os depoimentos de pessoas que conviveram com o Vereador Leopoldo nesse momento de sua vida, foi possível analisar a sua atuação enquanto parlamentar, principalmente no que se referem as suas ações voltadas para as áreas de educação, saúde e infraestrutura para o bairro do Portão, do qual ele era morador e representante político, além das suas relações políticas com os outros vereadores e o Poder Executivo, ressaltando que na atual conjuntura política do país, ainda a presença de negros ocupando espaços no poder é pequena, basta lembra que, segundo os dados da revista Congresso em Foco (2014), dos 27 Governadores e Senadores eleitos em 2014, nenhum se autointitula negro, bem como, dos 513 Deputados Federais, apenas 22 se declaram negros, já dos 1059 Deputados Estaduais eleitos nesse mesmo ano, somente 29 se consideram negros. Esses números demonstram o quanto o negro é excluído dos cargos eletivos no Brasil, ao mesmo tempo traduz uma preocupação: que mesmo depois de 128 anos de abolição da escravidão no Brasil e com as recentes políticas de promoção da igualdade racial, o racismo continua forte nesses espaços de poder. O principal aporte teórico foi um conjunto de trabalhos do pesquisador Clovis Luís Pereira Oliveira, que desde a década de 1980 realiza pesquisas acerca da presença do negro no Poder Legislativo, com ênfase para a capital baiana. Do conjunto, destacamos: O Negro e o Poder (1991), A luta por um lugar (1993), O Negro e o poder no Brasil (2002). Além dos estudos de Oliveira, foram utilizadas como arcabouço teórico as pesquisas da assistente social Matilde Ribeiro acerca das políticas de Promoção da Igualdade Racial no Brasil. Palavras-chave: Negro na política; Eleições; Representação política.


Continue lendo ...
 

Professor Borges Todos os direitos reservados © 2017 Ulisses D