Nota da ANPUH/Bahia em defesa do PIBID e da Residência Pedagógica


A suspensão do pagamento das bolsas do Pibid/Residência Pedagógica foi a forma mais cruel de punir aqueles que buscam a melhoria da qualidade de ensino. O corte de verbas para o desenvolvimento da ciência e tecnologia do país de mais de 90% afetou diretamente também os programas citados acima. As bolsas do PIBID e RP referentes a setembro e outubro não foram pagas. Elas se destinam a professores universitários e da educação básica que atuam nos programas, e também a discentes de licenciatura submetidos a um processo rigoroso de seleção e que desenvolvem projetos de pesquisa e prática docente em escolas públicas por R$ 400,00 mensais.

 O programa conta com cerca de 60 mil bolsistas em todo o país e precisa de R$124 milhões para honrar seus compromissos até o final deste ano. Deste valor, a presidência da república solicitou até o momento para a CMO a autorização suplementar de apenas R$43 milhões, suficientes unicamente para o pagamento das bolsas em atraso. Sem dúvida, as/os alunas/os de licenciatura estão sendo as/os mais afetadas/os pela falta de pagamento.

Docentes e discentes encontram-se perplexo com a atitude do Governo Federal, através de sua agência financiadora, a CAPES, de prejudicar o andamento dos projetos que proporcionam uma melhor formação para os (as) envolvidos (as) no processo. Os recursos já vinham minguando e, neste momento, assistimos a mais um golpe nas licenciaturas. Essa área de formação tão importante para a sociedade que clama pela melhoria da rede de ensino.

  A ANPUH seção Bahia se une as outras entidades representativas na defesa de um ensino público e de qualidade e a manutenção dos programas PIBID e RESIDÊNCIA PEDAGÓGICA. Dizemos NÃO a mais um ataque à educação brasileira.

  Pelo pagamento imediato das bolsas em atraso e pela continuidade dos Programas!

Vitória da Conquista-BA, 04 de novembro de 2021.
ANPUH Seção Bahia

Comentários