Egito faz parada pública com múmias do século 16 A.C. que serão transferidas de museu

 


Egito fez, neste sábado (3), uma parada pública pelas ruas do Cairo, com a exibição de 22 múmias que foram transportadas de um museu para outro na mesma cidade.

O comboio transportou 18 reis e 4 rainhas do Museu Egípcio, no centro da capital egípcia, para o Museu Nacional da Civilização, que fica a cerca de 5 quilômetros de distância.

A parada, que fechou algumas das principais vias da cidade, começou às 18h45 do Cairo (13h45 de Brasília).

As peças foram transportadas pelas ruas marginais ao rio Nilo. A ideia da parada é criar interesse entre turistas pelas antiguidades do país.

Por causa das restrições impostas pela Covid-19, o turismo no Egito foi quase todo interrompido.

As 22 múmias foram colocadas em cápsulas especiais, preenchidas com nitrogênio, para garantir a proteção.

Segundo o arqueólogo Zahi Hawass, os veículos também foram escolhidos com cuidado para dar estabilidade aos artefatos.

"Escolhemos [levar as peças para] o Museu da Civilização porque queremos, pela primeira vez, mostrar as múmias de uma forma civilizada, educada, e não só para diversão, como era o caso do Museu Egípcio", afirma Hawass.

Múmias descobertas em 1871

Essas múmias foram descobertas em 1871, em dois sítios arqueológicos (um deles, o templo de Deir Al Bahari, onde hoje fica a cidade de Luxor, e o outro, perto do Vale dos Reis, o principal local onde os reis eram enterrados no Egito antigo).

A mais antiga das 22 múmias é a de Seqenenre Tao, o último rei da 17ª dinastia, que reinou no século 16 A.C.. Acredita-se que Tao morreu de forma violenta.

A parada também inclui as múmias de Ramsés II, Seti I, e Ahmose-Nefertari.

Transporte com pompa

O museu que vai abrigar as peças fica em Fustat. A região era a capital do Egito durante a dinastia Umayyad, que governou a civilização depois da conquista árabe.

Salima Ikram, um egiptólogo da Universidade Americana no Cairo, afirma que transportar as peças "com pompa" é uma forma de fazer justiça a elas.

"Esses são os reis do Egito, são faraós, e essa é uma forma de mostrar respeito", disse ele.

A maldição dos faraós

Nas redes sociais há textos que relacionam o bloqueio do Canal de Suez e duas tragédias recentes no país (um acidente de trem e um incêndio) à "maldição dos faraós".

A "maldição dos faraós" também foi mencionada pela imprensa por volta de 1920, após a descoberta da tumba de Tutancâmon, quando membros da equipe de arqueólogos morreram em circunstâncias misteriosas.

Fonte:https://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2021/04/03/egito-faz-uma-parada-com-mumias-do-seculo-16-ac-que-serao-transferidas-de-museu.ghtml

 

Comentários

professor borges disse…
Salve o Egito Antigo...
Fala sobre a parada que Egito fez no sábado uma parada pública onde exibe 22 múmias que foram transportada de um Museo para o outro que são da mesma cidada.A parada fechou algumas das principais vias da cidade,começou as 6:45
As peças transportada na cidada como diz no texto acima trazia a ideia de trazer interesse aos turistas,22 minhas foram colocadas em cápsulas especial preenchidas com nitrogênio garantindo a proteção das múmias.As mas antigas das múmias é a de seqenenre
.A parada também incluir as múmias de ramsés||.
Esse foi o meu resumo pelo o que eu entendi sobre o texto
professor borges disse…
Seria bom você se identificar, dizer a turma e o nome da escola.