Postagens

Mostrando postagens de Março, 2018

CEPES realiza Conferência Infanto Juvenil pelo Meio Ambiente.

Imagem
No dia 28 de março de 2018, aconteceu na Câmara Municipal de Governador Mangabeira a Conferência Infanto Juvenil pelo Meio Ambiente do Colégio Estadual Professor Edgard Santos – CEPES, com a temática: As Escolas da Bahia Cuidando das Águas, objetivando mobilizar e propiciar atitudes responsáveis e comprometidas com a questão da água, considerando os aspectos local e global, por meio da participação social.  O evento foi organizado pela área de Ciência da Natureza e de Matemática do CEPES, através da coordenação da professora de Biologia - Cássia Braz e contou com o apoio importantíssimo das professoras Denise e Daniela Rocha, Jaqueline Leite, além dos(as) outros(as) docentes da unidade de ensino, bem como do corpo diretivo e dos funcionários. Na oportunidade, o professor de geografia Luiz Antônio Pereira Lima, realizou uma reflexão acerca da questão do desparecimento de algumas nascentes em nosso município, bem como, sugeriu ações no sentido de preservação dos man

Poema Iniciação (por Bárbara Barbosa)

Imagem
Metade de mim foi coragem, a outra metade foi amor. Eu fui axé, meu coração a Yansã se entregou. Eu fui tudo, e mais um pouco. Ser tudo não é suficiente para aprender sobre o universo que é o axé. Eu fui tudo, e mais um pouco. Mas ainda falta.  Sempre falta. Mas eu fui amor, né? Então eu fui tudo, porque o amor é tudo. Coragem é base para enfrentar um por um.  Mas o amor... Ah, o amor! Amor é tudo, gente. Amor é saída É resgate É ajuda É ser solidário consigo e com o outro. Leve como o vento de Yansã eu vou Sem esquecer da mira de Oxossi, Okê Arô. A esperteza e a felicidade do erê que habita em mim me leva a qualquer lugar Me ensinando a entrar e sair. Orixá não faz o mal Orixá é puro bem Orixá é luz E só sabe disso quem conhece Quem já teve a sua cabeça raspada, e eu repito, por amor.  Orixá é luz E eu sou também Orixá é força  E eu tenho de sobra Orixá é tudo Tudo que você não vai tirar de mim. Bárbara Barbosa , tem 15

Estudantes do Colégio Estadual Professor Edgard Santos, vão ao cinema assistir ao filme Pantera Negra

Imagem
Ontem (20/03), os alunos da turma do terceiro ano vespertino do Colégio Estadual Professor Edgard Santos - CEPES, localizado na cidade de Governador Mangabeira - Bahia, estiveram no cinema (Shopping Boulevart – Feira de Santana) para assistir ao filme Pantera Negra. A atividade foi uma iniciativa do Professor Borges, que leciona a disciplina Sociologia na mencionada turma, atividade essa que contou com o total apoio da direção  e professores do CEPES. A atividade teve como objetivo principal oferecer aos alunos uma oportunidade para uma reflexão acerca da construção cinematográfica de um herói negro, bem como a discussão de temáticas relacionadas ao continente africano como: mitos africanos, o respeito pela  ancestralidade, reinos africanos, a força da mulher e colonização africana no século XIX, além de aspectos relacionados aos avanços tecnológicos. Notamos nos comentários dos alunos, a simpatia pelo filme Pantera Negra, algo inovado no universo cinematográfico de Hollywood, uma

ESCOLAS JOSÉ BONIFÁCIO, EDGARD SANTOS E CEAG, SÃO HOMENAGEADOS EM SESSÃO ESPECIAL DA CÂMARA DE VEREADORES

Imagem
Na Sessão Especial da Câmara de Vereadores (14/03) pelo 56º aniversário de emancipação política do município de Governador Mangabeira, os Colégios Estaduais José Bonifácio (CEJB) e Professor Edgard Santos (CEPES) e a unidade de ensino municipal - Centro Educacional Professora Angelita Gesteira   (CEAG), foram homenageadas pelo Poder Legislativo Municipal em função dos seus aniversários de fundação. A homenagem pelos 66 anos de fundação do CEJB (09/03/1953) e aos 40 anos de existência do CEPES (14/03/1978) foi uma indicação da vereadora Maria das Graças Menezes (Gal), já a homenagem pelos 25 anos de criação do CEAG (04/01/1993) foi iniciativa do vereador Dr. Coi. As mencionadas homenagens foram entregues as diretoras das respectivas escolas: Jucineide da Conceição (CEJB), Rita de Cássia Santana (CEPES) e Telma Pereira (CEAG). Na secessão especial, também cada vereador entregou o título cidadão mangabeirense a uma pessoal que nasceu em outras cidade, mas reside em nosso mun

Alunos da Escola São Luís vão ao cinema assistir o filme Pantera Negra

Imagem
Na última segunda-feira (12/03), os alunos das turmas do primeiro ano do ensino médio da Escola São Luís – Muritiba foram ao cinema (Shopping América Outlet – Feira de Santana) para assistir ao filme Pantera Negra. A iniciativa da atividade foi do Professor Borges, que leciona a disciplina Histórias nas citadas turmas, a atividade contou com o total apoio da direção e coordenação da escola. Além do professor Borges, participaram dessa significativa prática pedagógica o professor Paulo Ricardo e as professoras Joicemary e Manuela. A ideia principal da atividade consistiu em proporcionar aos estudantes uma reflexão acerca da construção cinematográfica de um herói negros, bem como a discussão de temáticas relacionadas ao continente africano como: mitos africanos e o respeito pela  ancestralidade, reinos africanos, a força da mulher e colonização africana no século XIX, além de aspectos relacionados aos avanços tecnológicos. O filme Pantera Negra, conta a história de T’Challa (Cha

Emancipação Política do Município de Governador Mangabeira: Breve Histórico

Imagem
   A Origem do nome Cabeças. A origem do nome Cabeças está muito vinculada ao imaginário popular, possuindo versões diferentes nas reminiscências dos seus habitantes, ou por que não dizer, uma espécie de “invenção de tradição”, que levou vários anos para ser modificada. Fundamentado nesses argumentos, evidencia-se a primeira concepção acerca da questão discutida. Esta nasceu de um memorialista erradicado em Cabeças, o senhor Antônio Pereira da Mota Júnior, quando afirmava que:   Era a época das chacinas por encomendas! Ai mesmo, ao lado, no leito da via pública, jaziam os corpos decapitados. O trecho, local, não tinha, até então, segundo parece, nenhuma denominação, visto que, o escabroso acontecimento figurara aos olhares assustados dos transeuntes às pontas das estacas dando o nome daqueles cofres de pensamento, ali trancados para eternidade, pelo chumbo quente, como legado, até o dia 14 de março de 1962. (MOTA JÚNIOR, 1962, p. 02) Outra abordagem pa

ASCULT, desenvolve atividades voltadas para a educação e cultura local.

Imagem
A Associação Cultural da Localidade de Tocos I (ASCULT) - município de Governador Mangabeira, está desenvolvendo um relevante trabalho através do desenvolvimento de atividades relacionadas a educação e valorização da cultura local, dentre as quais destacam-se: aulas de violão, uma biblioteca, oficinas culturais (leitura, alfabetização de jovens e adultos, narração de histórias, confecção de fantoches, lazer e reforço infantil), quadrilha junina, confecção de brinquedos com material reciclável e recentemente o projeto ASCULT com Samba no Pé, o qual consiste na formação de um grupo de samba de roda na mencionada localidade. Hoje (11/03), aconteceu a reunião mensal da ASCULT, na oportunidade o professor Borges, proferiu uma palestra acerca da história do samba no Brasil, enfatizando a importância desse ritmo afro-brasileiro na construção da identidade brasileira, com destaque para o surgimento do samba de roda no Recôncavo Baiano. A ASCULT foi fundada em 20 de março de 2016, co

Dia Internacional das Mulheres: dados revelam desigualdade não só de gênero, mas também de raça

Imagem
Números alarmantes ainda mantêm desleal a luta das mulheres no mercado de trabalho, por isso cada vez mais verifica-se lideranças femininas em empreendimentos próprios na tentativa de abrir novas oportunidades. Ainda hoje as Mulheres recebem, em média, salários 30% menores que os homens quando ocupam os mesmos cargos e com a mesma formação. Para as mulheres negras o cenário é ainda pior: recebem menos de 60% dos salários dos homens brancos e possuem renda média mensal 40% menor que a renda média das mulheres brancas. No Brasil em 2017 destacou-se um aumento de 11% para 16% do número de CEOS mulheres em grandes empresas, no caso das mulheres negras esse número não alcança 1%. Nota-se o esforço das empresas na tentativa de inclusão e ações pró diversidade. Historicamente, mudanças estruturais acontecem a partir de pioneirismo e a transgressão de valores hegemônicos, por isso o Dia Internacional da Mulher é um momento para diálogos e intervenções sobre, por exemplo, a ínfima partic