quarta-feira, 18 de julho de 2012

Novo Código Penal divide juristas sobre punição ao racismo

O crime de racismo entrou para a lista de temas polêmicos – a exemplo do aborto – no Projeto de Lei 236/2012, que dá nova redação ao Código Penal, em tramitação no Senado Federal desde o último dia 9.
Embora tenha incluído a prática racista no rol de crimes hediondos, o novo texto, elaborado por uma Comissão Especial de Juristas, teria tornado mais difícil a punição ao racismo, segundo críticas de especialistas ligados às questões raciais.
O advogado e ex-secretário de Justiça e Direitos Humanos do Estado de São Paulo Hédio Silva Jr. criticou a adoção do Princípio da Insignificância no novo código. Conforme declaração postada no site da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), ele considera que o princípio é “uma porta larga para quem entende que o racismo não tem nenhuma importância”, já que o juiz pode desconsiderar o fato criminoso, entendo-o insignificante.
Para adotar o princípio, o juiz precisa julgar o fato muito pouco reprovável, praticamente inofensivo e inexpressivo juridicamente. Único baiano entre os 17 juristas da Comissão Especial, o advogado Gamil Föppel rebate a crítica. Fonte: A Tarde
Compartilhe : :

0 comentários:

Postar um comentário

 

Professor Borges Todos os direitos reservados © 2017 Ulisses D