Atividades realizadas pelo CEPES, acerca da História e Cultura Afro-brasileira e Africana, são socializadas em oficina com professores e alunos do Estado de Sergipe


Ontem (27/04/2021), no evento OFICINA DE BOAS PRÁTICAS EM DIVERSIDADE ÉTNICA, promovido pela Secretaria de Educação do Estado de Sergipe, por meio do Departamento de Educação (Secad/DED), em parceria com os residentes em Gestão Pública com foco em Educação da Vetor Brasil, Luís Carlos Borges da Silva (professor Borges), socializou com educadores e estudantes do citado ente federado, as experiências exitosas acerca da História e Cultura Afro-brasileira e Africana, desenvolvidas pelo COLÉGIO ESTADUAL PROFESSOR EDGARD SANTOS (CEPES), localizado na cidade de Governador Mangabeira – Bahia. 

A atividade foi realizada de forma virtual através da plataforma Zoom, objetivando “incentivar o desenvolvimento de práticas educativas, inspiradas nas Leis n.º 10.639/03 e 11.645/08, dentro da temática das histórias afro-brasileira e indígena na realidade das escolas de Sergipe, a partir do compartilhamento de boas práticas das escolas e da interação entre os proponentes e participantes dos três estados”, salientou Camila de Araújo Lopes, residente em Gestão Pública da Vetor Brasil que atua na SEDUC/Sergipe.

Na oportunidade, o professor Borges, explicitou as estratégias traçadas no Brasil para a implementação de uma educação antirracista, bem como a importância e a metodologia de algumas das atividades desenvolvidas no CEPES entre os anos de 2014 a 2019, acerca da História e Cultura Afro-brasileira e Africana, inseridas na perspectiva de implementação da lei 10.639/2003. Veja a seguir algumas dessas atividades:

1. Livro: “Uma Conversa sobre as Áfricas” – foram realizadas palestras com o autor do livro (Juvenal de Carvalho – UFRB) e produção de texto nos anos de 2014 a 2016, além da produção de um cordel em 2017 (Ideias erradas sobre a África / Na mídia ainda são faladas / A história desse continente / Na escola deve ser valorizada.

2. Projetos Consciência Negra – 2014 a 2019

2014 - Consciência Negra - amplie a sua.

2015 - África-Brasil: relações históricas e culturais.

2016 - 100 anos do Samba.

2017 - Os Negros e as Negras nas Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs): dos estereótipos à valorização.

2018 - CEPES 40 anos - História e Cultura Afro-brasileira: um olhar local e regional.

2019 - Mulheres Negras no Brasil: resistência, protagonismo e empoderamento.

3. Outras atividades

Cabelos Crespos: identidade cultural, aceitação e empoderamento – Feira de Ciência 2019.

Seminários sobre a escritora Carolina Maria de Jesus e o escritor Luiz Gama, estudos acerca do Quilombo dos Palmares, Revolta dos Búzios, Vida de Nelson Mandela, África: berço da humanidade e outros, Juventude Negra no Brasil.

Também, a exibição de filmes (Kiriku, O Menino que Descobriu o Vento, Diamante de Sangue, Palmares, Amsitad, Vista sua pule e outros) ensaios fotográficos, interpretação de textos e músicas, produção de vídeos e a realização de atividades de campo (Salvador, Cachoeira e Terreiro de Candomblé local).

Ainda durante a sua explanação, Borges apresentou um conjunto de fotos relacionado as atividades mencionadas acima, bem como exibiu um vídeo vinculado ao Projeto Consciência Negra 2019 e enfatizou a importante da realização de eventos dessa natureza, que procuram abordar a importante da história e cultura do povo negro no Brasil.

Além do professor Borges, a oficina contou com a participação da professora Magna Santana (Escola Estadual Diomedes Santos da Silva – Nossa Senhora do Socorro/Sergipe) e do professor Izadir Oliveira (Escola Estadual Joaquim Murtinho – Campo Grande/Mato Grosso do Sul), os quais explicitaram suas experiências em relação as temáticas em foco, já a coordenação ficou a cargo da professora Maria Paula de Melo Santos Alves (Técnica Pedagógica responsável pela pasta da Educação Étnico-Racial - SEDUC/Sergipe), com o apoio de Camila de Araújo Lopes (Vetor Brasil).

Salientamos que, vários alunos, professores e membros da Direção do CEPES, também estiveram presentes no evento, bem como professores da SEC/Bahia e de outros Estados do país, ambos relataram a qualidade e importância da oficina, como uma forma de potencializar os estudos acerca da História e Cultura Afro-brasileira e Africana.

Segundo a coordenação, a segunda parte da oficina acontecerá no dia 04/05, com o intuito de desenvolver um projeto com o apoio de um monitor e a inspiração das práticas compartilhadas,

“Agradecemos ao convite da Secretaria de Educação do Estado de Sergipe, nas pessoas das professora Maria Paula Alves e Camila Lopes, para participar desse qualificado evento, bem como parabenizamos essa instituição pela preocupação em debater temas de suma importância para efetivação de uma educação antirracista e a todos e todas que estiveram presentes na atividade. Também, externamos nossos agradecimentos a SEC/BA, na figura da professora Jurema Brito e do vetor Gabriel Guia pelo convite para representar o Estado da Bahia nessa atividade. Ainda, agradecemos aos alunos, professores, corpo diretivo do CEPES pela presença na oficina, demonstrando o compromisso do Colégio pela valorização da História e Cultura Afro-brasileira e Africana no contexto educacional”, salientou o professor Borges.

Maiores informações no portal do governo de Sergipe: https://www.seduc.se.gov.br/noticia.asp?cdnoticia=16977. Acesso em 28/04/2021.

Comentários

Geraldo Antônio disse…
Excelente iniciativa, Prof. Borges! Parabéns às comunidades escolares envolvidas!
Juvenal disse…
Professor Borges,

Sempre na luta para desenvolver uma prática educativa antirracista. Agradeço por ter participado destas iniciativas.

Parabéns e muita força para seguir na luta.

Estamos juntos

Um grande abraço