sexta-feira, 31 de agosto de 2018

O Papel da Pastoral da Juventude nas Políticas Públicas de Juventude em Governador Mangabeira, foi tema do TCC de Estudante de Gestão Pública da UFRB





Hoje (31/08/2018), o estudante do curso de Gestão Pública da Universidade Federal da Bahia (UFRB), Daniel da Conceição de Souza, realizou a defesa de seu TCC – Trabalho de Conclusão de Curso, com o título: Políticas Públicas de Juventude em Governador Mangabeira: o papel da Pastoral da Juventude - 2011 a 2018, com a orientação da professora Dr. Lys Maria Vinhaes Dantas.

A defesa aconteceu no Centro de Artes e Humanidades – CAHL na cidade de Cachoeira, sendo a banca formada pelos professores: Ms. Alfredo Pinto da Silva Junior e Dr. Edgilson Tavares de Araújo, além da professora Dr. Lys Maria Vinhas Dantas. Os mencionados professores emitiram considerações e elogios a produção do TCC, destacando a sua importância para a os estudos acadêmicos voltados para a juventude a nível regional. No final o TCC recebeu a nota 9,5. Além da sua mãe Maria de Lurdes Conceição, também estiveram presentes na atividade amigos de Daniel (Professor Borges, Mirian, Jucilene e Daniela, Laila e Juliana).

Conforme explicitado no texto, o aludido TCC tem por objetivo: “analisar a influência da PJ – Pastoral da Juventude para a elaboração de Políticas Pública para Jovens, com recorte para o município de Governador Mangabeira, localizada no Recôncavo baiano” SOUZA, 2018, p. 10), com recorte temporal entre os anos de 2011 a 2018. Em relação a metodologia, “aplicou-se questionários com dois grupos específicos: o primeiro com 6 pessoas que participaram de grupos de jovens que antecederam a criação da PJ, respondendo 5 questões. O segundo grupo, composto por 10 pessoas que assumiram as funções de coordenadores e assessores da Pastoral de Juventude de Governador Mangabeira nos anos de 2011 a 2018, respondeu 6 questões. Também se utilizou como dados o depoimento de um ex-vereador e ex-secretário municipal” (p.11).

Assim, o TCC foi estruturado em dois capítulos com seus respectivos subtemas: primeiro: Uma Conversa sobre Juventude no Brasil (Uma Conceituação; A Juventude como Ator de Formação da Agenda Política; Políticas Pública para Juventude no Brasil; Contribuição da Pastoral da Juventude nas Políticas Públicas Brasileira). O segundo capítulo: A Pastoral da Juventude e seu Papel nas Políticas Públicas de Governador Mangabeira (A Trajetória da Pastoral da Juventude em Governador Mangabeira; A Influência da Pastoral da Juventude na Elaboração das Políticas Públicas Municipais de Juventude; Um Olhar para o Futuro).

Um dos pontos em destaque no primeiro capítulo, é quando o autor enfatiza a origem da PJ no Brasil, movimento social que surgiu da década de 1970. “Suas origens remontam às atividades da Ação Católica Geral e à Ação Católica Especializada entre os anos de 1930 e 1960. Nessa última década se destacaram grupos católicos como: JAC (Juventude Agrária Católica), JUC (Juventude Universitária Católica), JEC (juventude Estudantil Católica) e o JOC (Juventude Operaria Católica), os quais foram fundamentais para a criação de uma Pastoral da Juventude Orgânica, através de iniciativa da própria CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, em meio às transformações do catolicismo na América Latina” (p. 23).

Já no segundo capítulo, Souza realiza uma significativa pesquisa acerca das origens dos grupos de jovens em Governador Mangabeira, os quais contribuíram para o surgimentos da PJ, bem como elucida a importância da Pastoral na elaboração e acompanhamento das políticas públicas para a juventude em âmbito local entre os anos de 2011 a 2018, configurando-se “como algo relevante e bastante produtivo, atuando para o desenvolvimento de políticas públicas em diversas temáticas voltadas para conscientização, politização, autonomia e garantias de direitos para os jovens, porém as demandas em benefícios da juventude ainda são muitas, suscitando a continuidade da luta da Pastoral da Juventude pela afirmação dos jovens como sujeitos construtores de sua própria história”. (p. 48).

Dessa forma, o autor conclui a sua produção acadêmica, destacando que: “o presente trabalho monográfico se configura como um parâmetro relevante acerca dos estudos da juventude no Brasil, demonstrando a responsabilidade da Pastoral da Juventude em atuar em defesa de Políticas Públicas para Jovens no município de Governador Mangabeira, contribuindo para uma compreensão dos jovens como atores da sua própria história e atuando pela garantia de seus direitos”. (p. 52) 

“Parabenizo a Daniel da Conceição de Souza pela relevante produção acadêmica, um texto riquíssimo acerca da Trajetória da Pastoral Juventude no Brasil, com recorte para o município de Governador Mangabeira, bem como a atuação da PJ na elaboração e acompanhamento das políticas públicas de juventude no citado município. Por certo, uma significativa reflexão acerca do papel da Pastoral da Juventude no sentido de se compreender os jovens como atores de sua própria história e agentes sociais que lutam pela efetivação de uma sociedade mais justa e igual. Esperamos que o exemplo de Daniel possa ser útil para outros jovens mangabeirenses, principalmente no sentido de continuar na luta pela elaboração e efetivação das políticas pública para a juventude no município”, salientou professor Borges.
Compartilhe : :

1 comentários:

  1. Meu caro joveM Daniel. Muito feliz pelo trabalho feito. Sucesso em sua jornada

    ResponderExcluir

 

Professor Borges Todos os direitos reservados © 2017 Ulisses D