domingo, 24 de dezembro de 2017

Origem do Natal

0 comentários
Natal é uma festa que comemora o nascimento de Jesus entre os homens. Esta homenagem ao Menino Jesus é, ao lado da Páscoa, a cerimônia mais respeitável do calendário cristão. Este evento desperta entre os cristãos do mundo todo sentimentos de solidariedade e fraternidade, instaura-se no Planeta um clima de amor e união. Apesar de hoje estar subvertida pelo consumismo voraz, sufocada pelo materialismo vigente, esta festa preserva um significado especial, como se realmente Jesus renascesse entre nós. Mesmo os que não acreditam na vinda do Messias se deixam contagiar pela atmosfera reinante na Terra.
A palavra Natal vem do latim ‘natális’, com origem no verbo ‘nascor, nascéris, natus sum, nasci’, denotando nascer, ser inserido no mundo. Os cristãos primitivos tinham o hábito de cultivar cada passagem da vida de Jesus, especialmente os que estão ligados à Paixão e à Morte na Cruz. Mas, curiosamente, naquela época não se comemorava o aniversário de ninguém, portanto não se considerava importante gravar o dia do nascimento das pessoas. Por esse motivo não se legou para a posteridade a data do aparecimento de Jesus em nosso mundo. No século IV, o Papa Júlio I instituiu o dia 25 de dezembro para a comemoração do Natal. Sua celebração oficial foi decretada pelo Papa Libério, no ano 354 d.C. Isso não significa que Jesus tenha realmente nascido neste dia.
O Natal é uma festa que, na verdade, ocupa o lugar de uma comemoração pagã, um culto ao deus Mitra, divindade persa que revelava o retorno do Sol no auge do inverno no Hemisfério Norte – fenômeno chamado de Solstício de Inverno. A veneração a este deus teve início em Roma no último século antes da vinda de Cristo, e era uma das religiões que mais agradava ao povo romano durante o Império. Aos poucos o Cristianismo foi moldando essa celebração à sua imagem e semelhança. Assim, a Igreja não precisou proibir estas festas pagãs, mas apenas realizar uma espécie de sincretismo religioso, conferindo-lhes um caráter cristão.
Segundo a visão bíblica, no mês que, pelo calendário gregoriano, está em correlação com o mês judaico da época do nascimento de Jesus, a segunda metade de dezembro, o frio seria tão intenso que não se encontraria ninguém fora de um abrigo, mas Lucas, em seu Evangelho, se refere a pastores que habitavam ao ar livre com seus rebanhos na região onde Jesus nasceu. Assim, os pesquisadores acreditam que o Messias não pode ter nascido neste momento, mas sim em algum período na primavera ou no verão. Mas também pode ser que esta passagem evangélica seja apenas simbólica.
O Natal é impregnado de magia, é um ritual que, ao longo do tempo, englobou cultos, canções específicas, dramas religiosos, entre outros elementos. Atualmente, várias festas são realizadas, como o Auto de Natal – uma pequena reprodução do nascimento de Jesus, desde a Anunciação do anjo Gabriel à Maria até a visita dos Reis Magos –; a Folia de Reis - festa de origem portuguesa que relembra anualmente a visita dos Reis Magos a Jesus, entre outras. A Árvore de Natal simboliza a transformação da vida, o nascimento do Messias, o pinheiro foi eleito em função de suas folhas estarem sempre viçosas, plenas de vida. Esta tradição apareceu pela primeira vez na Alemanha. A troca de presentes é uma herança das oferendas dos Reis Magos ao Menino Jesus por ocasião de seu nascimento. As velas significam boa vontade, a receptividade das pessoas. Os cartões apareceram na Inglaterra em 1843, foram concebidos por John C. Horsley, que elaborou o primeiro deles para doá-lo a um amigo. Já os alimentos próprios do Natal representam a abundância, uma vez que na Antiguidade grande parte das pessoas passava fome e valorizava a carne como um prato de extrema importância.
O Presépio é um retrato da gênese de Jesus em uma estrebaria, tendo como berço a manjedoura. São Francisco de Assis foi o artífice do primeiro presépio, em 1223. Hoje este ritual se perpetua, não mais nas mãos de uma elite ou de ordens religiosas, mas sim através da tradição popular.
Papai Noel, por sua vez, foi baseado em São Nicolau Taumaturgo, arcebispo de Mira, no século IV. Ele costumava auxiliar, anonimamente, qualquer pessoa que se encontrasse com problemas financeiros. São Nicolau tinha o hábito de depositar um saco com moedas nas chaminés das casas dos seus protegidos. Depois de ser declarado responsável por vários milagres, ele foi declarado santo e tornou-se um símbolo do Natal, a partir também da Alemanha.


Fonte: https://www.infoescola.com/cristianismo/natal/
Continue lendo ...

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

A Origem do Papai Noel

0 comentários
O mito do bom velhinho foi inspirado em São Nicolau, um bispo católico que viveu no século 4 na cidade de Mira, atual Turquia. “Ele ficou conhecido em todo o Oriente por sua bondade e pela atenção com as crianças”, afirma o frei Luiz Carlos Susin, professor de teologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS). Diz a lenda que Nicolau presenteava as crianças no dia de seu aniversário, em 6 de dezembro. Nos séculos seguintes, o mito se espalhou pela Europa e a data da entrega de presentes acabou se confundindo com o nascimento de Cristo. “Quando a história chegou à Alemanha, no século 19, o velhinho ganhou roupas de inverno, renas, um trenó de neve e uma nova casa: o Pólo Norte”, afirma Luiz.

Nessa época, Noel ainda era representado como um homem alto e magro com roupas que variavam de cor – dependendo do relato, elas eram azuis, amarelas, verdes ou vermelhas. A silhueta rechonchuda, o rosto barbudo e os trajes vermelhos que conhecemos hoje apareceram pela primeira vez na revista americana Harper’s Weekly, em 1881. A figura, desenhada pelo cartunista Thomas Nast, sofreu uma nova transformação em 1931. Na criação de um anúncio para a Coca-Cola, o desenhista Haddon Sundblom acrescentou um saco de presentes e um gorro ao personagem. A série de comerciais que mostrava Noel metido em situações engraçadas para entregar seus brinquedos rodou o mundo, popularizou essa imagem e, claro, turbinou as vendas do refrigerante.

O nome Santa Claus, como Noel é conhecido em inglês, é uma adaptação de Sinter Klaas, forma como São Nicolau era chamado pelos holandeses, que levaram suas tradições natalinas para colônias na América no século 17 (entre elas a região da cidade de Nova York). Já por aqui, a origem da expressão “Papai Noel” tem raízes no idioma francês, no qual Noël significa “Natal”. Ou seja, no Brasil, o bom velhinho ganhou um carinhoso nome que significa literalmente “Papai Natal”.

A lenda de que Noel vivia no Pólo Norte, onde comandava sua oficina de brinquedos, serviu para os finlandeses estimularem o turismo local. Na década de 1950, o governo construiu uma vila de madeira na cidade de Rovaniemi, na região da Lapônia, que acabou se tornando o lar oficial do Papai Noel. Quem decide enfrentar o rigoroso inverno Ártico pode entregar seus recados pessoalmente a um dublê do bom velhinho, que recebe aproximadamente 700 mil cartas por ano — quase todas, é claro, com pedidos de presentes.

Fonte: https://mundoestranho.abril.com.br/cultura/quando-e-por-que-o-papai-noel-passou-a-simbolizar-o-natal/
Continue lendo ...

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

CEPES, realiza Projeto Consciência Negra acerca dos Negros e as Negras nas Tecnologias da Informação e Comunicação

1 comentários


















No dia 29/11/2017, O Colégio Estadual Professor Edgard Santos - CEPES, localizado na cidade de Governador Mangabeira - Bahia, realizou a culminância do Projeto Consciência Negra, com a temática: Os Negros e nas Negras nas Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs): dos estereótipos a valorização, como os subtemas que discutiam a negação e a valorização dos negros e negas na televisão, cinema, internet e fotografia.
O Projeto foi dividido em três etapas: primeira - realização de seminários acerca da temática específica de cada série; segunda - a produção artística e a terceira - apresentações das produções artísticas (culminância).
Durante a culminância os alunos apresentaram suas produções artísticas acerca da temática em foco, utilizando instrumentos lúdicos como a música, dança, poesias, peças teatrais e outros, além do desfile da beleza afro-brasileira com um casal representando cada sala de aula.
A culminância do mencionado projeto, também contou com a participação do grupo de dança Embaixad'África, formada por estudantes da UNILAB - Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira, campus Malês - São Francisco do Conde, estudantes esses oriundos de países do continente africano que falam a língua portuguesa. Estavam presentes dois de Angola, um de Guiné Bissau, uma de Cabo Verde e outra de São Tomé e Príncipe, sendo que a vinda deles ao nosso município foi articulada entre a professor de filosofia do CEPES - Divanise Vieira e uma ex-aluna do Colégio que também estuda na UNILAB - Rafaela Santos. Além da brilhante performance dançando, os estudantes fizerem um breve relato acerca da cultura de seus países e enfatizaram a necessidade em se desconstruir a visão negativa que ainda existe acerca da África.
Estiveram presentes no evento autoridades municipais como: Marcelo Pedreira (Prefeito), Derlan Queiroz (Secretário de Meio Ambiente), Ribamar Rodrigues (Secretário de Educação) e Tenilson Moura (Diretor de Transportes).
O Projeto contou com o apoio e colaboração das seguintes instituições e pessoas: Secretarias Estaduais de Educação (Coordenação da Diversidade) e Promoção da Igualdade Racial, Editora FTD, Faculdade Maria Milza - FAMAM, UNILAB, Prefeitura Municipal, Secretarias Municipais de Educação, Meio Ambiente e Infraestrutura, Pipoca Eventos, TR Turismo e Transportes, Fotografo Maslã Souza, Ex- aluna Rafaela Santos, Vereadora Gal Menezes e Vereador Luciano Cunha.  
Vale ressaltar a satisfação dos alunos com a realização do Projeto Consciência Negra, evidenciada em uma atividade avaliativa coordenação da professora de Língua Portuguesa Célia Santana, um dia após a culminância: "o projeto contribuiu para mostrar que existem muitos negros que têm destaque na TV, na internet e no cinema e em vários outros lugares, nossa forma de pensar mudou bastante (...) Chegamos a uma conclusão de que o projeto tem que continuar, para alertar as pessoas e também trazer informações, pois ele está mudando a forma de pensar e agir daquelas pessoas que antes tinham pensamentos lamentáveis e ruins sobre os negros". (Alunos do 2º BM do CEPES).
"Queremos agradecer aos estudantes, professores, funcionários, coordenação pedagógica e a direção do CEPES pelo apoio e dedicação para a realização do Projeto Consciência Negra 2017, em especial a professora Divanise Vieira pela parceria na coordenação do evento. Também, as instituições e pessoas que contribuíram financeiramente ou logisticamente com o evento. Em suma, agradecemos a toda comunidade educacional do CEPES pela a realização desse brilhante projeto, com uma produção de conhecimento qualificada, através dos seminários e apresentações artísticas. De fato, nossos alunos deram um show, demonstrando apropriação da temática em foco, elucidando que para além dos estereótipos precisamos buscar a valorização dos negros e negras nas Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs)", salientou o professor Borges.
PARABÉNS A TODOS E TODAS!!!!
https://www.youtube.com/watch?v=3xCy3SETVHA&t=25s
   
Continue lendo ...
 

Professor Borges Todos os direitos reservados © 2017 Ulisses D