segunda-feira, 4 de junho de 2012

Cartilha de segurança mostra como se proteger das armadilhas na rede

Rede social pode se transformar em fonte de dados para bandidos. Antes de efetuar uma compra pela internet, confira se a empresa realmente existe. 
Se por um lado a internet é uma ferramenta para pesquisas ou para se relacionar à distância com outras pessoas, por outro, muitos usam o mundo virtual para cometer crimes. Uma cartilha divulgada sobre segurança na internet quer alertar o brasileiro sobre os perigos da rede.
A estudante de direito, Cláudia Torres, guardava fotos, textos, pesquisas e toda a sua monografia no computador pessoal. um dia, um vírus invadiu o sistema em busca de dados bancários e apagou tudo. Hoje ela mantém cópia de todos os arquivos e criou um sistema especial para não perder mais fotos. "Coloco na rede social, porque tenho como resgatar depois", declara.
Só que a rede social também pode se transformar em uma fonte de dados para bandidos. Na semana passada, um empresário de São Paulo recebeu ameaças virtuais. A polícia descobriu que a autora era uma adolescente de 15 anos, que viu os dados em uma rede social e usou as informações para tentar tirar dinheiro dele. Fonte: JH

Navegar na internet também seu lado bom. Em Campo Grande, um analista de sistemas comprou um carro que valia R$ 28.500, por R$ 500. O negócio foi oferecido para chamar a atenção para o lançamento de uma empresa de compras coletivas.
Na hora de fazer negócio pela internet todo cuidado é pouco. Uma dica bem simples ajuda quem costuma usar a rede para serviços bancários. Para checar se a página é verdadeira ou não, quando o banco pedir a senha, digite um número errado. "Se você escrever sua senha errada e ninguém reclamar, cuidado! Você provavelmente não está no sítio correto, alguém está querendo roubar sua senha", alerta Demi Getschko, diretor-presidente Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR.
Outras dicas de segurança na internet:
- Nas redes sociais não coloque dados pessoais, nem informe onde você está, para onde vai.
- Não adianta só instalar o antivírus. É preciso mantê-lo atualizado.
- Se for fazer compras pela internet, verifique primeiro se a empresa realmente existe. É possível fazer isso pela própria rede.
- Cuidado com as páginas de joguinhos em rede que você não conhece.
O problema dos vírus é tão sério que quem estuda direito digital defende a criação de leis contra isso, e que a propagação de vírus passe a ser considerada crime. “Existe a invasão de domicílio físico, mas não existe a invasão de domicílio eletrônico”, diz Rony Vainzof, professor de direito digital.

Compartilhe : :

0 comentários:

Postar um comentário

 

Professor Borges Todos os direitos reservados © 2017 Ulisses D