segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Rio é espelho para a Bahia

O clima de guerra que se verifica no Rio de Janeiro atinge a todos os brasileiros em diferentes níveis de intensidade. Na Bahia, o assustador crescimento dos índices de violência (veja post aqui publicado) faz com que os baianos já pensem duas vezes antes de sair de nossas casas a menos que seja para trabalhar e leva os pais a ficarem acordados até que seus filhos retornem a cada noite que eles saem para encontrar amigos ou ir a alguma festa.

O paradoxal é que a explosão da violência no Rio é resultado direto do bom trabalho realizado pelas autoridades da área de segurança naquele Estado, tirando os espaços dos bandidos e fazendo com que eles percam o controle das comunidades. O que se vê é a prática terrorista de marginais que estão se sentindo acuados e desesperados e tentam, a todo custo, intimidar as autoridades atingindo diretamente a população com ações dispersas e ataques a pessoas inocentes.

Um amigo meu, com boa dose de humor negro, disse, ao ver o noticiário, que os baianos estão livres de enfrentar um problema como o que passa o Rio de Janeiro porque aqui os bandidos passeiam à vontade, dominam ruas e bairros da periferia e só são incomodados pontualmente quando a Secretaria de Segurança Pública faz uma de suas operações que só produzem efeitos mesmo na propaganda oficial.

Tão logo os policiais saem, os traficantes reocupam seus espaços e seguem a vida, matando e torturando aqueles que lhes interessam, quando e onde bem querem. Sem uma ação social efetiva, os bandidos continuam a recrutar novos “soldados” a cada dia, numa velocidade muito superior à capacidade da polícia.

Num quadro assim, de nada adianta o sentido choro do secretário de Segurança ao visitar a família do pequeno capoeirista assassinado dentro de casa no Nordeste de Amaralina. Em vez de lágrimas, nossas autoridades precisam é agir de forma inteligente e eficiente contra os criminosos, com uma ação integrada, envolvendo iniciativas policiais, educacionais e sociais.

Compartilhe : :

0 comentários:

Postar um comentário

 

Professor Borges Todos os direitos reservados © 2017 Ulisses D