terça-feira, 15 de junho de 2010

Série Continente Africano: país - GANA

O nome de Gana foi tomado do ancestral e sofisticado império do Sudão que floresceu no ocidente da África entre os séculos IV e X a.C. Trata-se de um jovem país que guarda em seus territórios belezas naturais espetaculares ao longo de suas costas e nas elevações do interior.
Gana ocupa uma superfície de 238.5333 quilômetros quadrados. Está situado na África Ocidental e limita-se ao norte com Burkina Faso e Níger, ao sul com o Oceano Atlântico, ao leste com Costa de Marfim, e ao oeste com Togo.Possui uma população de 23 milhões, sendo as principais religiões: cristianismo (57,6%), crenças tradicionais (22,1%), islamismo (19,8%). A economia do país baseia-se em três atividades centrais: a agricultura (plantações tropicais como o cacau); a mineração (ouro, diamantes e minerais); e a exploração de recursos florestais (vastas plantações de árvores de madeira comercial).
A história do Gana estava muito estreitamente relacionada à dos vizinhos. Desde Guiné até Nigéria partilharam-se longos anos de civilização em comum. No século XIII vários reinos foram à região e trouxeram consigo a influência Saheliana: os Songaï, Kanem-Bornu e Hausa. O comércio de escravos para América mudou o esquema geopolítico. Assim as costas começaram ser importantes devido aos constantes barcos de escravos rumo às colônias de outros continentes. As forças dos impérios começaram a construir fortes costeiros para assegurar os negócios. A primeira a faze-lo foi Portugal, no século XV e foi seguido pelo Reino Unido, França, Holanda, Suécia e a Dinamarca. Quando a escravatura foi abolida no começo do século XIX os europeus procuraram novamente outras zonas de comércio e exploração no interior do país.
Gana obteve sua independência em março de 1957 e converteu-se no primeiro país africano a ganhar seu próprio estado frente as forças colonizadoras européias.
As tradições do Gana são excepcionalmente interessantes nas artes, festivais e rituais. As vilas artesanais são popularmente conhecidas pela produção de téxtis e prendas de variadas cores e desenhos como o Kente, o traje típico dos reis da região central.
Fonte: portalsaofrancisco.com.br
Compartilhe : :

0 comentários:

Postar um comentário

 

Professor Borges Todos os direitos reservados © 2013 Ulisses D