domingo, 27 de novembro de 2016

100 ANOS DO SAMBA NO BRASIL




Hoje comemoramos o centenário do Samba no Brasil, pois exatamente em 27 de novembro de 1916, Ernesto Joaquim Maria dos Santos, conhecido como DONGA, registrou na Biblioteca Nacional o primeiro samba - PELO TELEFONE. Vejamos alguns trechos da letra dessa música: "O chefe da folia/ Pelo telefone manda me avisar/ Que com alegria/ Não se questione para se brincar/ Ai, ai, ai / É deixar mágoas pra trás, ó rapaz/ Ai, ai, ai/ Fica triste se és capaz e verás..."
O samba surgiu no Recôncavo Baiano no inicio do século XIX, sendo que o primeiro estilo foi o de roda. Suas raízes são relacionadas com a presença  africana no território brasileiro, a partir do período colonial. 
O samba foi introduzido no Rio de Janeiro, através da baiana Tia Ciata em 1876. Além do samba de roda, na atualidade existem uma variedade de estilos de samba, como: chula, coco, lundu, canção, carnavalesco, enredo, reggae, pagode, protesto e outros.
A partir dos anos 1930, o samba ganhou grande espaço na indústria fonográfica e também foi usado pela política ditatorial de Getúlio Vargas na época do Estado Novo. Os grandes sambistas e compositores da época do rádio são: Noel Rosa, Cartola, Dorival Caymmi, Ary Barroso e Adoniran Barbosa, Mário Lago, Ataulfo Alves, Carmem Miranda, Aracy de Almeida e outros.
A partir Na década de 1970, começa a surgir uma nova geração de sambistas. Podemos destacar: Paulinho da Viola, Jorge Aragão, João Nogueira, Beth Carvalho, Elza Soares, Dona Ivone Lara, Clementina de Jesus, Chico Buarque, João Bosco, Alcione, Clara Nunes, Benito de Paula, Martinho da Vila, Nelson Rufino, Riachão, Agepê, Elis Regina, Jair Rodrigues, Lecy Brandão, Almir Guineto, Roberto Ribeiro, Bezerra da Silva e outros.
Durante esse mês de novembro, a Secretaria Municipal de Promoção da Igualdade - SEPROMI de Governador Mangabeira, realizou nas escolas municipais (CEPAVP, CEAG, João Alves, Centro Paroquial, Municipal de Quixabeira, Elza Souza e Luiz Santos), uma série de palestras acerca dos 100 anos do samba, bem como o Colégio Estadual Edgard Santos, desenvolveu um projeto pedagógico envolvendo essa temática e o Colégio Estadual José Bonifácio, realizou uma palestra.

Para finalizar, deixamos um dos trechos da música de Alcione: “Não deixe o samba morrer / Não deixe o samba acabar / O morro foi feito de samba / De Samba, pra gente sambar”.
Compartilhe : :

0 comentários:

Postar um comentário

 

Professor Borges Todos os direitos reservados © 2017 Ulisses D